Cinco perguntas para...

Cândido Malta Campos Filho

/ BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2012 | 03h33

1. A Prefeitura anunciou que fará 68,5 km de corredores de ônibus. Corredores são mesmo importantes para a cidade? Toda cidade do mundo que tem metrô tem ônibus. Uma coisa não dispensa a outra. O que acontece é a população preferir metrô. Mas é evidente que tem de haver ônibus também.

2. Mas os ônibus precisam ser segregados em um corredor?

Se não há essa separação, os ônibus disputam espaço com os carros e ficam nos congestionamentos.

3. Mas há quem critique os corredores. Do ponto de vista de urbanismo, eles são negativos? O que pode acontecer é ficar um "trem" de ônibus enfileirados nos corredores, o que acaba separando a via, impedindo a travessia.

4. E há mais críticas? Para mim, os corredores deveriam ficar no estreito da rua (na lateral), não no centro. Eles "esterilizam" a calçada. O ponto de ônibus é vitalizador do comércio de rua. Mas o pessoal do transporte diz que, no estreito, o corredor perde sua capacidade.

5. Mas o investimento nos corredores é uma decisão acertada? Sim, mas é preciso haver um equilíbrio. Para serem harmoniosas, as ruas da cidade não podem ter nem muitos ônibus nem muitos carros. Daí a importância do transporte subterrâneo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.