Cinco perguntas para...

Antonio Donato - Vereador (PT-SP) e presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Eletropaulo

, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2011 | 00h00

1. Por que foi instaurada a CPI da Eletropaulo?

Pelo descumprimento da lei que obriga o enterramento da fiação, as falhas na iluminação pública e o acordo da dívida com a Prefeitura, que pressupõe contrapartidas não realizadas pela Eletropaulo.

2. Qual o foco da CPI?

Os apagões, até porque eles se intensificaram no processo (em junho e julho). A rede aérea é mais vulnerável a problemas climáticos. Portanto, o enterramento da fiação ganha mais sentido.

3. Como a Eletropaulo justifica os apagões?

Eles argumentam que foram causados por eventos climáticos extremos, com queda de árvores na fiação. Mas que a empresa está nos padrões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

4. Em que estágio está a CPI?

As audiências começaram em abril e devem terminar em dezembro. Já podemos dizer que existe uma precarização do atendimento da Eletropaulo.

5. Na prática, como a CPI ajuda a resolver os problemas?

Sobre os apagões, estamos extrapolando um pouco, mas sem muita autoridade real. Vamos pressionar para que tudo seja cumprido no que diz respeito à Prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.