Cinco perguntas para...

Mariana Magtaz

Denize Guedes, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

GEMÓLOGA PELO GEMOLOGICAL INSTITUTE OF AMERICA E SÓCIA DA ARTE METAL

1. É verdade que a 1ª evidência de ouro no País foi descoberta em SP?

Sim. Em 1590, os bandeirantes acharam uma jazida perto do Pico do Jaraguá.

2. Qual a participação de SP no mercado de joias brasileiro hoje?

O Estado é o maior polo industrial do Brasil. Além disso, a capital abriga a maioria dos designers e detém o maior número de escolas e faculdades do País.

3. Quais são os principais expoentes da joalheria paulistana?

Sonia Pasetti se destaca em feiras internacionais com um trabalho em ouro, Camila Lovisaro e Marília Fontana têm peças em prata expostas em galerias americanas. Betina Terepins, nome já consolidado, vai às principais mostras de design do mundo.

4. Há uma tendência no mercado hoje?

A joalheria está se voltando para uma produção mais autoral e em menor escala. As pessoas querem peças exclusivas, com uma linguagem que exprima a personalidade delas.

5. Qual país é a referência atual do setor?

No fim do século 19, a moda era ditada pela França. Depois da 2.ª Guerra Mundial, pela Itália. Mas não dá mais para pensar nesses termos, o mundo está globalizado demais. Brasil, Índia e China têm se destacado. Em setembro, por exemplo, teremos uma grande exposição de joias brasileiras em Berlim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.