Cinco perguntas para...

Jorge Eduardo Rubies

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2011 | 00h00

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO PRESERVA SÃO PAULO

1. Como mobilizar interessados para defender o patrimônio?

Por e-mails, telefonemas e do bom e velho corpo a corpo. Mobilização e organização são a chave do sucesso de qualquer movimento.

2. Como conquistar o apoio popular?

Por meios tradicionais, e cada vez mais pela internet. No caso do Quarteirão da Cultura (área do Itaim-Bibi que a Prefeitura quer trocar por creches), o engajamento de uma personalidade carismática como a atriz Eva Wilma ajudou a convencer.

3. É preciso ter algum conhecimento específico, como Direito e Arquitetura?

Em certos casos é imprescindível, mas o importante mesmo é a dedicação e a paciência das pessoas engajadas na causa.

4. No caso do Quarteirão da Cultura, quais foram os principais passos?

Criamos comissões temáticas, entregamos ao Ministério Público duas representações, entramos com pedido de tombamento, realizamos duas audiências públicas, diversas manifestações, vídeos para o YouTube e um estudo técnico com mais de 400 páginas.

5. A pressão política em vereadores funciona?

Gostaria de dizer que sim, mas não é isso o que tenho observado. Quando há interesses econômicos em jogo, especialmente de doadores de campanha, o eleitor fica em segundo plano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.