Cinco perguntas para...

Wagner Colombini - Consultor em transportes

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

09 Março 2011 | 00h00

1.Como é possível aliar mobilidade urbana e sustentabilidade em São Paulo?

Com transporte coletivo de qualidade. Investir em vias expressas para transporte individual nunca será solução.

2. O que é melhor: investir em metrô ou corredores de ônibus?

O metrô atende de forma muito pontual e os corredores estão congestionados. O ideal seria transformá-los em sistema BRT (Bus Rapid Transit), algo que Curitiba já implantou com sucesso. Monotrilho também vejo como boa opção para certas regiões da cidade.

3. Quais?

É uma opção viável para o Aeroporto de Congonhas, por exemplo. Não funciona, porém, em áreas muito populosas, que precisam de um transporte coletivo mais robusto. O monotrilho leva entre 15 mil e 25 mil pessoas por hora, contra 60 mil do metrô.

4. A opção de pedágio urbano funcionaria em São Paulo?

É um método muito melhor que o rodízio. Quer pegar determinadas vias? Então pague pelo congestionamento que vai causar. Hoje todos pagam por isso com tempo em vez de dinheiro.

5.Existe um nível de congestionamento "aceitável"?

Sim, o que temos em janeiro. A meta da cidade deveria ser trazer o congestionamento ao mesmo nível das férias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.