Cinco perguntas para...

Cinco perguntas para...

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2010 | 00h00

Paulo Dequech

Presidente da Associação Brasileira de Tecnologia Não Destrutiva

1. O que é o Método Não Destrutivo de obras?

A técnica elimina a necessidade de escavações. É possível instalar cabos sob a terra com apenas duas aberturas, uma no início e a outra no destino, com distância média de 100 metros uma da outra. Equipamentos como o tatuzão do Metrô (mas menores) são usados para obras de esgoto, por exemplo.

2. Já é possível termos uma cidade sem

valas?

A abertura de valas para obras de redes de gás e água já são mínimas. As obras de esgoto são mais complexas, mas o método já vem ganhando força. Precisamos que as valas sejam recuperadas para não se tornarem cicatrizes no asfalto, como as que ainda encontramos.

3. Em quais tipos de obras o método pode ser aplicado?

Todas as redes subterrâneas, desde de água, esgoto, gás e TV, até oleodutos.

4. O método é mais caro que o tradicional?Nos grandes projetos é até mais econômico. Além de ser mais rápido, é também mais econômico porque não se quebra o pavimento e não há necessidade de recapeamento.

5.Como está o Brasil em termos de tecnologia?

O que existe de mais moderno no mercado há também no País. Na Alemanha, Inglaterra, EUA e Japão o método é dominante. Mas o Brasil caminha rápido nesse sentido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.