Junior Souza/Prefeitura de Araçoiaba da Serra
Junior Souza/Prefeitura de Araçoiaba da Serra

Cidades do interior fecham tudo em fim de semana para evitar ‘turista de chácara’

Prefeitos justificam que a chegada dos donos de chácaras de lazer, familiares e convidados, movimenta o comércio, mas também causa aglomerações, agravando o risco do novo coronavírus

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2020 | 16h11

SOROCABA – Cidades próximas da capital paulista decidiram fechar parte do comércio essencial durante os fins de semana, a partir deste sábado, 4, para evitar a invasão do chamado turista de chácara. Os prefeitos justificam que a chegada dos donos de chácaras de lazer, familiares e convidados, movimenta o comércio, mas também causa aglomerações, agravando o risco do novo coronavírus. As cidades estão na faixa vermelha, de maior risco para a doença. Pesquisas informais indicam que o aumento nos casos tem relação com esse movimento extra.

A prefeitura de Araçoiaba da Serra baixou decreto determinando que supermercados, açougues e mercearias permaneçam fechados aos sábados, domingos e feriados. Conforme o Plano São Paulo de reabertura econômica, esses estabelecimentos considerados essenciais poderiam funcionar. O prefeito Dirlei Salas (PV) disse que a medida se tornou necessária devido ao crescimento no número de casos.

“A gente observa que em fins de semana há um acúmulo de pessoas que chegam de regiões que estão com muitos casos e depois os casos aumentam aqui. Tomamos essa atitude para não correr o risco de deixar as pessoas de nossa cidade sem atendimento de UTI”.

A cidade de 34 mil habitantes tem 98 casos positivos e três óbitos pelo coronavírus. O prefeito disse que estão autorizados a funcionar apenas os postos de gasolina, farmácias e serviços ligados à saúde. Restaurantes e similares podem adotar o sistema delivery

A medida é extensiva aos bairros rurais, como Jundiaquara, Itinga e Cercado, onde se concentram condomínios de chácaras usadas apenas em fins de semana. Já houve flagrante de partidas de futebol sendo disputadas aos domingos nesses locais.

Em Araçariguama, a 50 km da capital, a prefeitura proibiu o funcionamento do comércio e de serviços das 18 horas de sexta-feira até zero hora de segunda-feira. O decreto autoriza, no entanto, o funcionamento de restaurantes, padarias e lanchonetes somente pelo sistema delivery.

A restrição não inclui farmácias, postos de combustível e borracharias. Clínicas médicas e veterinárias só podem atender casos de emergência. “É mais um motivo para as pessoas não saírem de casa e ajudarem no combate ao vírus”, informou a prefeitura.

Após atingir 100% de ocupação dos leitos de UTI, Votorantim decidiu fechar totalmente comércio e serviços aos domingos. De segunda a sábado, mesmo os estabelecimentos de produtos essenciais, como supermercados, padarias e açougues, devem baixar as portas até 19 horas. Após esse horário, somente o sistema delivery está autorizado.

Conforme o coordenador do comitê do coronavírus, Carlos Laino, a fiscalização será reforçada e o estabelecimento que descumprir será multado em até R$ 13,6 mil, podendo ainda perder o alvará de funcionamento.

A cidade tem 571 casos confirmados e 23 mortes. Nas últimas 24 horas, foram registrados 34 novos casos e uma morte. Como as outras cidades, Votorantim possui condomínios de chácaras de recreio, principalmente na região da Represa de Itupararanga.

A área, com trilhas, marinas e prainhas, atrai visitantes da capital e de cidades da própria região. Com apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Municipal, a prefeitura voltou a realizar barreiras sanitárias em pontos estratégicos para detectar pessoas infectadas e orientar a população a manter o isolamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.