Cidade sofre com duplicação da Raposo

Moradores e comerciantes de Vargem Grande Paulista, a 45 km de São Paulo, enfrentam problemas cada vez maiores para transpor a Rodovia Raposo Tavares que, ao ser duplicada, dividiu ao meio a cidade de 42,9 mil habitantes. Há só dois acessos entre as duas partes e, nos horários de pico, chegam a se formar congestionamentos nas ruas que margeiam a rodovia. Na Avenida Elias Alves da Costa, há outro problema: em alguns pontos, a prefeitura autorizou o estacionamento em 45 graus, mas por falta de espaço a traseira dos veículos invade a pista de rolamento.

JOSÉ MARIA TOMAZELA , SOROCABA, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2011 | 03h06

De acordo com a Associação Comercial e Empresarial, comerciantes reclamam da queda no movimento causada pelo trânsito. Para complicar, a prefeitura autorizou o funcionamento de duas agências bancárias em um prédio sem estacionamento. As vagas para deficientes e idosos foram improvisadas do outro lado da rua. Uma morador entrou com representação no Ministério Público Estadual. O pedido de apuração foi arquivado, mas o Banco Central ainda não autorizou a abertura das agências.

A prefeitura informou ter feito mudanças para melhorar a fluidez no trânsito. Desde segunda, a Avenida Elias Alves da Costa passou a ter mão única, nos dias úteis, das 17h às 18h. "A medida visa a solucionar o congestionamento de 2 km que se forma diariamente no horário de pico", informou a Coordenadoria Técnica de Trânsito. A prefeitura informou que está em busca de alternativas para ampliar a oferta de vagas para estacionamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.