Cidade Dutra às escuras

INCOMPETÊNCIA DA AES ELETROPAULO?

O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2013 | 02h02

Nós, moradores da parte baixa do bairro Cidade Dutra, não estamos recebendo a devida consideração da AES Eletropaulo. No último dia 13, ficamos cerca de 10 horas sem eletricidade. Consequentemente, fomos impedidos de trabalhar e paralisados em nossos direitos. O condomínio em que resido, na Rua Cambuci do Vale, teve enorme prejuízo por ter de usar o gerador durante todo esse período e ficou limitado praticamente a algumas luzes na portaria. No dia 15, às 21h30, novamente ficamos sem eletricidade. Não sei quanto tempo mais vamos continuar nessa situação. Creio que temos direito a uma ação reparatória. Em um dia, a energia acabou três vezes! Em outros, a luz vai e volta, repetidas vezes, danificando aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos. Se a Eletropaulo não conseguir resolver o problema de forma definitiva, terá demonstrado enorme incompetência. E culpar a chuva é incompetência ainda maior!

ADEMIR VALEZI / SÃO PAULO

A AES Eletropaulo informa que a região mencionada pelo leitor é caracterizada por densa arborização e a queda de galhos de árvores é a principal causa dos desligamentos de energia. Por esse motivo, o circuito será contemplado por um amplo plano de podas em 2013, com previsão de início para o primeiro semestre do ano.

O leitor reclama: A resposta da AES Eletropaulo é uma vergonha. São irresponsáveis e nem sequer analisaram o problema. Não são as árvores as responsáveis pela escuridão e, sim, a incompetência dessa malfadada empresa. É um serviço pelo qual pagamos muito caro, para não ter nenhuma qualidade.

GP DE INTERLAGOS

Ruas não foram bloqueadas

Antes da realização do GP de Interlagos, a CET avisou os moradores do entorno da Praça Enzo Ferrari, da Avenida José Carlos Pace e de outras ruas sobre a retirada de um adesivo que lhes permitiria acessar suas residências nos dias 24 e 25, quando haveria o bloqueio total da região. Tempo perdido pelos moradores e dinheiro jogado no ralo com a contratação de atendentes e a confecção dos ditos adesivos. Não houve bloqueio algum das ruas e não havia ninguém verificando se os carros tinham o referido adesivo. Com a palavra, a CET.

DETLEF SCHULTZE / SÃO PAULO

A CET informa que o cadastramento antecipado de moradores que residem no entorno do autódromo visa a garantir o livre acesso às vias restritas e evitar transtornos. Porém, os bloqueios são realizados de acordo com a necessidade operacional e o comportamento do trânsito. O controle de acesso somente é realizado durante os bloqueios. No restante, fica garantida a livre circulação nas vias ao redor do autódromo, desde que sejam respeitadas as regras gerais de trânsito.

O leitor comenta: A CET fala longamente sobre algo que já é sabido, mas não aborda a questão dos adesivos. Repito: não havia bloqueios nem sábado nem domingo e nenhum agente da CET verificava se os veículos que entravam na zona supostamente bloqueada portavam ou não o tal adesivo. A rua em que resido, bem como as suas transversais, viraram estacionamento. Sugiro que em 2013 essa exigência seja abolida, proporcionando uma economia no orçamento da CET.

PESQUISA DA CET

Surpresa com o resultado

Sou morador da Rua Ernesto de Oliveira, na Chácara Klabin e, há algum tempo, respondi uma pesquisa sobre a alteração para a mão de direção de uma via, encaminhada pela CET. Optei pela manutenção das duas mãos. Ao entregar o formulário ao funcionário da CET, ele me antecipou que a maioria dos moradores optou também pela manutenção das duas mãos. Agora há pouco, no entanto, tive a desagradável surpresa de ver uma faixa informando que a via, agora, tem mão única. Ora, se a maioria optou pelas duas mãos, por que a mudança? Qual foi o resultado dessa pesquisa?

RICARDO RAYES / SÃO PAULO

A CET informa que o sentido único de circulação na R. Ernesto de Oliveira foi adotado após pesquisa feita com os moradores entre 1º e 13/8. Na ocasião, a maioria foi favorável à alteração realizada. A mudança foi feita também em razão das diversas queixas a respeito do tráfego intenso de passagem pela R. Ernesto de Oliveira, que é utilizada como rota de fuga da Avenida Prefeito Fábio Prado. A adoção do sentido único aumenta as condições de fluidez do local e a segurança de todos.

O leitor reclama: A resposta contradiz a informação passada pelo funcionário da CET. Solicitarei cópia do resultado da pesquisa, assim como do estudo técnico obrigatório para tal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.