Cidade ainda têm desabrigados que esperam por casa

Já se passaram dez meses, mas a enchente ainda afeta o cotidiano de moradores de Paraitinga. Há moradores que continuam sem casa, abrigados temporariamente em pousadas alugadas pela prefeitura da cidade ou recebendo o bolsa-aluguel.

, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2010 | 01h00

A balconista Maria Claudete Alves Lobo, de 45 anos, só conseguiu se mudar na quinta-feira para uma das 151 casas construídas pelo governo estadual para os desabrigados. Ainda com as malas feitas, ela comemorava o que chamou de "uma nova fase". "Perdemos tudo. Salvamos o que deu para colocar no carro", conta Maria Claudete, que morava com os cinco filhos às margens do Rio Paraitinga.

A cozinheira Sueli Presser tinha um restaurante no mesmo local onde morava, no centro da cidade. "Mudei para uma casa em uma área mais alta. Estou cheia de dívidas do antigo restaurante", afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.