Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Ciclofaixas de lazer voltam a funcionar neste domingo em São Paulo

Programa abrange 117 quilômetros de vias exclusivas para bicicletas e patinetes; serviço estava suspenso desde agosto de 2019

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2020 | 11h43

As ciclofaixas de lazer voltarão a funcionar neste domingo, 19, na cidade de São Paulo. A retomada ocorre após a assinatura de um termo de cooperação com a nova patrocinadora do programa, que abrange 117,6 quilômetros de extensão em vias como as Avenidas Paulista e Sumaré, dentre outras. 

Interrompido em agosto de 2019, por falta de patrocínio, o programa funciona exclusivamente nos domingos e feriados, das 7 às 16 horas. Ele prevê a restrição de uma faixa exclusiva para o tráfego de bicicletas e patinetes, suporte mecânico para usuários e outros serviços.

O circuito abrange especialmente vias no entorno de áreas de lazer da capital paulista, como os parques do Ibirapuera, na zona sul, e Villa-Lobos, na zona oeste, que integram a lista de mais de 70 parques reabertos nesta semana.

O novo termo de cooperação é válido por 12 meses e foi assinado com a Uber, com investimento privado previsto de R$ 11,5 milhões. Segundo a Prefeitura de São Paulo, a retomada do serviço respeitará “medidas de proteção e higiene”. 

A gestão municipal divulgou algumas orientações para os usuários, como manter distância dos demais, não compartilhar água e alimentos, higienizar as mãos com água e sabão ou álcool gel “sempre que possível” e tomar banho e lavar as roupas e os equipamentos após retornar para casa. O uso de máscara é obrigatório na cidade, inclusive durante a prática de atividades físicas.

A primeira ciclofaixa de lazer paulistana foi implantada em 2009. Desde então, o serviço teve ampliações para outras vias e hoje abrange os seguintes circuitos: Paulista/Jabaquara; Paulista/Centro; Jabaquara/Parque Ibirapuera; Parque Ibirapuera/Sumaré; Parque Ibirapuera/Parque do Povo; Parque do Povo/Parque Villa-Lobos; Parque do Chuvisco/Parque do Povo; trecho zona norte; e trecho zona leste.

A retomada não amplia as vias atendidas até 2019. Fora do Brasil, cidades como Bogotá, Melbourne e Milão têm estendido a malha cicloviária durante a pandemia do novo coronavírus. Na França, o governo chegou a criar um programa de incentivo para manutenção de bicicletas usadas

Veja a lista de todas as vias que voltarão a ter ciclofaixas de lazer:

 

Tudo o que sabemos sobre:
ciclovia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.