Divulgação
Divulgação

Ciclista recebe braço biônico com tatuagem

Prótese doada por empresário custou R$ 300 mil e imita a pele humana

José Maria Tomazela, O Estado de São Paulo

17 Julho 2013 | 18h01

SOROCABA - O pintor David Santos Souza, de 21 anos, que perdeu o braço direito quando andava de bicicleta na Avenida Paulista, há quatro meses, recebeu nesta quarta-feira (17) o braço mecânico doado por uma empresa de Sorocaba. A prótese é revestida com um tecido de silicone que imita a pele humana e ganhou um adereço especial: uma tatuagem com estampa de caveira que brilha no escuro, escolhida a dedo por Souza. O braço biônico, doado pelo empresário Nelson Nolé, foi adaptado às características pessoais do paciente.

Desde que recebeu alta do hospital, David vinha testando o equipamento e acompanhando os ajustes feitos na clínica de Nolé. A prótese instalada agora é definitiva. "O desafio era ele reaprender a fazer tudo o que fazia antes, movimentando o braço, a mão e os dedos metálicos com comandos cerebrais. Ele está dominando o sistema e já consegue fazer os principais movimentos", disse o empresário. Um simples aperto de mão exigiu horas de treinamento. Foi com esse gesto que o rapaz agradeceu o empresário doador pelo presente de R$ 300 mil. David quer voltar a andar de bicicleta e sonha em dirigir um carro.

O ciclista perdeu o braço em março deste ano, ao ser atropelado por um carro dirigido pelo estudante de Psicologia Alex Kozloff Siwek. O motorista fugiu sem prestar socorro e, ao ver que o braço do rapaz ficara preso no carro, jogou o membro em um córrego, impossibilitando um possível reimplante. O autor do atropelamento chegou a ser preso, mas uma liminar concedida em junho pela Justiça permitiu que ele respondesse ao processo em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.