Chuvas provocam estrago no litoral e Vale do Ribeira

São Sebastião e Ilhabela tiveram ruas alagadas e imóveis danificados; em Juquiá e Itariri, rios transbordaram

O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2014 | 02h02

A chuva forte que atingiu o Estado de São Paulo entre a noite de sexta-feira e a madrugada de domingo provocou estragos no litoral e no interior. Em São Sebastião e Ilhabela, casas e ruas foram alagadas e destruídas, carros foram arrastados pela enxurrada e famílias perderam móveis e ficaram desabrigadas. Em Caraguatatuba, a Rio-Santos ficou alagada. No Vale do Ribeira, áreas urbanas de três cidades ficaram sob as águas.

A prefeitura de São Sebastião decretou estado de alerta depois que 44 casas foram invadidas pela água. Parte das casas atingidas foi erguida em área irregular e em cima de um curso d'água. Quatro famílias da Vila Progresso, em Juqueí, ficaram desabrigadas e 13 pessoas foram levadas a casas de parentes.

Em alguns imóveis, a água chegou a pouco mais de um metro de altura. As vítimas perderam alimentos e móveis. O chefe de manutenção Rodrigo Santos Cruz, que ficou sem o guarda-roupas. "A enxurrada foi tão forte que derrubou o muro ao lado da minha casa."

Em Ilhabela a enxurrada desceu dos morros e cachoeiras e provocou a destruição de ruas, que ficaram alagadas. Carros foram arrastados pela correnteza e algumas casas foram destruídas. Uma família foi removida de sua casa no bairro Morro dos Mineiros. No centro, os muros da Igreja Matriz caiu e bloqueou uma rua. Outro muro, de uma escola, também cedeu.

Em Juquiá, no Vale do Ribeira, o rio que dá nome à cidade transbordou. Casas, lojas e prédios públicos alagaram e seis bairros na zona rural tinham o acesso interrompido. Quedas de barreiras e de árvores interditaram a SP-79 e a SP-165.

Em Miracatu, seis casas foram interditadas e 25 pessoas estavam desabrigadas. No sábado, o acesso da cidade à Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) alagou e a população tinha ficado ilhada, mas o trânsito já foi restabelecido. Em Itariri, também na região, o Rio do Azeite saiu do leito e inundou moradias. Um ciclista, arrastado pela enxurrada, foi salvo por moradores. / REGINALDO PUPO, ESPECIAL PARA O ESTADO, E JOSÉ MARIA TOMAZELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.