Claudio Coradini/Estadão
Claudio Coradini/Estadão

Chuvas encerram estiagem e recuperam rios no interior paulista

Mudança no tempo também acabou com as queimadas nas regiões de Sorocaba, Campinas e Piracicaba

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2016 | 16h52

SOROCABA - As chuvas que caem desde a noite de sexta-feira, 19, encerraram um período de dois meses de estiagem e estão recuperando o nível de rios que abastecem as regiões de Sorocaba, Campinas e Piracicaba, no interior de São Paulo. 

A mudança no tempo também acabou com as queimadas que assolavam o interior. De 1.o de janeiro até este sábado (20), satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectaram 2.271 focos no Estado, 90% a mais que no mesmo período de 2015, quando foram registrados 1.194.

As chuvas devolveram a beleza ao Rio Piracicaba, um dos principais do interior. Na manhã deste domingo,21, turistas ocupavam o mirante e a passarela do Engenho Central para apreciar o aumento no volume de água na cachoeira, na área urbana de Piracicaba. 

O rio, que na sexta-feira estava com vazão de 44,6 metros cúbicos por segundo, registrava 83,7 m3/s, conforme medição do Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) de São Paulo. O Rio Mogi-Guaçu subiu 38 cm e as águas voltaram a cobrir o paredão da barragem na Cachoeira das Emas, em Pirassununga.

Também o Rio Atibaia, que abastece Campinas, estava com 32 m3/s, quase o triplo de há uma semana. No Rio Corumbataí, que responde pela maior parte do abastecimento de Piracicaba, a vazão chegou a 12 m3/s - na sexta-feira (19) estava com 6,3 m3/s e havia risco de suspensão na captação.

O índice de chuvas nas últimas 48 horas variou de 12,6 milímetros em Sorocaba até 26,3 mm em Campinas. A cidade de Campinas foi atingida por fortes rajadas de vento, com velocidade de até 63,8 km/h, segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade de Campinas (Unicamp). Foram registradas quedas de árvores, sem maiores danos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.