Reginaldo Pupo/ESTADÃO
Reginaldo Pupo/ESTADÃO

Chuvas provocam novos deslizamentos em São Sebastião, no litoral

Na Praia de São Francisco, diversas pedras, uma com mais de 2 toneladas, caíram sobre as duas faixas da Rodovia Rio-Santos

Reginaldo Pupo, Especial para o Estado

01 Março 2016 | 12h35

SÃO SEBASTIÃO - As chuvas que atingem o litoral norte paulista desde o início da noite deste domingo, 28, continuam causando estragos na região. Segundo a Defesa Civil, 23 famílias estão desalojadas e foram encaminhadas para a casa de parentes ou amigos; outras três estão desabrigadas e foram levadas para o ginásio de esportes. A água invadiu as casas e chegou a 1,50 metro de altura. Na segunda-feira, 29, um casal morreu e duas crianças ficaram feridas na Praia de Boiçucanga.

Nesta terça-feira, dois novos deslizamentos e uma queda de barreira foram registrados nos bairros São Francisco, Juquehy e Cambury. Segundo a Defesa Civil, em Cambury o deslizamento atingiu quatro casas, por volta das 4h30 desta madrugada. Uma família - três crianças e um adulto - ficou presa em sua residência e foi socorrida após os agentes da Defesa Civil quebrarem o muro.

Em Juquehy, o deslizamento atingiu uma casa e danificou uma residência de alto padrão. Ninguém ficou ferido.

Na Praia de São Francisco, diversas pedras, uma delas pesando mais de duas toneladas, deslizaram sobre as duas faixas da Rodovia Rio-Santos, no km 120, por volta das 10h, horário de intenso tráfego. O fluxo segue no sistema de "pare e siga" por um dos acostamentos, único lugar que não foi atingido. Ninguém ficou ferido.

Não há previsão para a liberação total da pista, já que no local ainda há risco de deslizamentos. Assustado, o motorista Carlos Diniz, de 38 anos, disse que as pedras deslizaram assim que ele passou pelo trecho. "Só ouvi o estrondo atrás do carro. Foi quando vi o tamanho da pedra que havia acabado de cair. Nasci de novo."

O Fundo Social de Solidariedade está arrecadando kits de higiene e de limpeza, alimentos, roupas, roupas de cama, sapatos, colchões, móveis, eletrodomésticos, água, entre outros itens para ajudar as famílias desalojadas e desabrigadas. 

A Defesa Civil recebeu nesta terça-feira, 1, reforço de técnicos do órgão de São Paulo, do Instituto Geológico (IG) e da Polícia Ambiental e está realizando vistorias nas áreas mais críticas e de risco. Após uma avaliação inicial, o município decretou estado de alerta.

Segundo o chefe da Defesa Civil de São Sebastião, Carlos Eduardo dos Santos, a previsão é de que a chuva continue nos próximos dois dias. "Se o mau tempo continuar conforme está previsto, vamos ter que remover provavelmente mais seis famílias porque há risco de descer mais terra", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.