J. Serafim - divulgação
J. Serafim - divulgação

Chuvas derrubam árvores, interditam estradas e causam alagamentos no interior

Em Jundiaí, a chuva com rajadas de vento derrubou 23 árvores e deixou 29 mil domicílios sem energia elétrica na noite de segunda; na manhã desta terça, faltava restabelecer a energia de 10 mil clientes, segundo a concessionária CPFL

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2019 | 16h44

SOROCABA - Chuvas fortes com rajadas de vento causaram estragos e alagamentos, entre a noite de segunda-feira e manhã desta terça, 26, em várias regiões do interior de São Paulo. Ao menos três rodovias sofreram interdições em razão das chuvas. No centro-oeste, duas escolas e dois centros de saúde foram afetados pelos temporais, mas não houve vítimas.

Em Jundiaí, a chuva com rajadas de vento derrubou 23 árvores e deixou 29 mil domicílios sem energia elétrica na noite de segunda, em consequência do temporal que atingiu a cidade. Na manhã desta terça, faltava restabelecer a energia de 10 mil clientes, segundo a concessionária CPFL. Em Campinas, uma árvore desabou e destruiu o muro do Centro de Treinamento do Guarani, na avenida Imperatriz Dona Amélia.

Em Hortolândia, três placas de vidro da fachada de um hotel caíram na rua Zacarias Costa Camargo e se estilhaçaram, mas não houve vítimas. Um ônibus foi atingido pela queda de uma árvore durante um temporal, em Limeira. O coletivo estava parado no ponto final para troca de motorista e cobrador, no bairro Nossa Senhora das Dores, e ninguém se feriu. A árvore arrancou também a fiação elétrica. A avenida foi interditada. 

Na região centro-oeste, o temporal transformou em rios as ruas do bairro São João, em Promissão. A Escola Estadual Silvio de Almeida, que atende 200 crianças em regime integral, foi invadida pelas águas. Assustados, os alunos tiveram de subir em mesas no pátio alagado. A Diretoria Regional de Ensino enviou equipe para fazer a limpeza do prédio. A Unidade Básica de Saúde do bairro e uma escola municipal de educação infantil também foram invadidas pela enxurrada.

Em Lins, o rio Campestre saiu do leito e cobriu ruas e praças na área ribeirinha. Casas e lojas foram tomadas pelas águas. Uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Fernandópolis ficou 12 horas sem energia em razão do temporal que atingiu a cidade. O gerador e outros equipamentos queimaram. Os pacientes foram transferidos para a Santa Casa e outras unidades.

Interdições

 A rodovia Comandante João Ribeiro de Barros foi parcialmente interditada depois que erosões se abriram no acostamento, no km 507, em Herculândia, e no km 438, em Quintana. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que está providenciando o reparo dos estragos causados pelas chuvas. Em Echaporã, uma pedra caiu e interditou parcialmente a rodovia Rachid Rayes. 

Conforme a concessionária, a chuva causou o deslocamento da rocha, que já foi removida. Na manhã desta terça-feira (26), a rodovia Régis Bittencourt (BR-116) ficou interditada cerca de uma hora devido a um alagamento no km 272, em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo. O tráfego foi liberado por volta das 7 horas. Houve 3 km de congestionamento. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.