Reprodução
Reprodução

Chuvas deixam um morto, um desaparecido e estrago no interior

Em Borborema, na região de Araçatuba, um temporal virou um barco no Rio Tietê; três pessoas se salvaram, mas um homem de 59 anos morreu afogado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2017 | 12h45

SOROCABA - Um homem morreu e outro está desaparecido em consequência dos temporais que atingiram o interior de São Paulo neste fim de semana. Entre sábado, 28, e domingo, 29, as chuvas derrubaram pontes e espalharam estragos em ao menos dez cidades. Em várias regiões já choveu o dobro do previsto para o mês de janeiro. Em Borborema, região de Araçatuba, o temporal virou um barco com quatro pessoas no Rio Tietê, na noite de sábado. Três se salvaram - uma delas só foi resgatada na manhã seguinte -, mas Benedito Orlando Tibúrcio, de 59 anos, morreu afogado. 

Em Rio Claro, um homem desapareceu na madrugada de sábado, depois de ser arrastado pela enchente do Rio Corumbataí. Ele pescava na margem, quando o rio subiu e o levou. O Corpo de Bombeiros retomou as buscas na manhã desta segunda-feira, 30.

Em Atibaia, o corpo de um homem de 66 anos que havia sido arrastado pela enxurrada há uma semana, foi encontrado neste domingo pelos bombeiros no Rio Atibaia, a quatro quilômetros do local. 

Pontes. Em Sagres, no noroeste paulista, a enchente levou a cabeceira de uma ponte sobre o Rio Canguçu. Uma caminhonete e um carro caíram no buraco. Um homem ficou gravemente ferido e foi levado para o Pronto Socorro de Osvaldo Cruz. A rodovia vicinal entre Sagres e Inúbia Paulista foi interditada.

No município de Martinópolis, na mesma região, as chuvas derrubaram uma ponte sobre o Ribeirão Coroadinho, na vicinal que liga a cidade ao distrito de Teçaindá, que ficou isolado. O temporal ainda derrubou três postes, deixando a região sem energia. 

A chuva de domingo derrubou árvores e destelhou casas em Jaú, região central do Estado. Um deslizamento atingiu três imóveis no Jardim Maria Luiza.

Em Palmital, na região de Assis, também houve quedas de árvores, postes e destelhamento de casas.

Já em Buri, no sudoeste paulista, dois córregos transbordaram e invadiram a cidade, transformando as ruas em rios. A força das água arrancou o asfalto.

Os temporais causaram estragos também em Novo Horizonte, Matão e Castilho.

Janeiro chuvoso. As chuvas acumuladas de janeiro chegaram a 463 milímetros, na manhã desta segunda-feira, na região central do Estado, conforme o Instituto de Pesquisas Meteorológicas (Ipmet) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Bauru. O índice é quase 70% maior do que a média histórica, de 291 mm, e está próximo do recorde de 2011, quando choveu 496 mm.

Desde 1981, quando a estatística teve início, os janeiros mais chuvosos foram em 1983 (464 mm) e 1997 (475 mm).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.