JOSÉ PATRÍCIO/ESTADAO
JOSÉ PATRÍCIO/ESTADAO

Chuvas atingem Cantareira, mas nível de represas não deve subir

Na capital, um córrego transbordou durante a chuva, dois aeroportos foram fechados e a circulação de linha da CPTM foi interrompida

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

07 Janeiro 2015 | 23h18

SÃO PAULO - Pancadas moderadas e fortes atingiram as represas do Sistema Cantareira e do Alto Tietê nesta quarta-feira, 7, mas as chances de o nível dos reservatórios subir são pequenas. “Como a chuva não foi persistente e durou pouco, o volume de água nas represas não deve ser alto. Os níveis devem, no máximo, estabilizar", disse o meteorologista da Climatempo Marcelo Pinheiro.

Na capital, um córrego transbordou durante a chuva, dois aeroportos foram fechados e a circulação de uma linha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foi interrompida, resultando em depredação em duas estações.

A cidade entrou em estado de atenção para enchentes às 16h40. Por causa do temporal, o Aeroporto de Congonhas chegou a fechar a pista para pousos e decolagens às 16h55, mas reabriu logo em seguida, às 17h08. O Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, ficou com restrição de pouso entre as 17h40 e as 18h20. O Córrego Tiquatira, na Penha, zona leste da capital, transbordou na altura da Avenida Governador Carvalho Pinto às 18h23. Carros e ônibus ficaram submersos.

Por volta das 18 horas, uma placa de metal caiu nos trilhos da Linha 12-Safira (Brás-Calmon Viana) e interrompeu a circulação de trens. Irritado, um grupo de passageiros quebrou catracas, lâmpadas, vidros e câmeras das Estações USP Leste e Comendador Ermelino. 

Segundo a CPTM, alguns usuários também atearam fogo nos materiais quebrados. Seguranças nas estações contiveram o grupo e, até as 21h30, ninguém havia sido preso. A via continuava interrompida às 22 horas e os usuários usaram os ônibus acionados pelo Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese).

Onze pontos de alagamento foram registrados na cidade - quatro deles intransitáveis. O trânsito, no entanto, ficou dentro da média.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água Sistema Cantareira chuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.