Chuva volta a alagar Jardim Romano, na zona leste de SP

Moradores interditaram rua para pedir a reposição de pertences estragados por enchente das últimas semanas

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

28 de dezembro de 2009 | 08h53

Moradores do Jardim Romano, na zona leste de São Paulo, voltaram a sofrer com os alagamentos causados pelas chuvas da noite deste domingo, 27, após terem convivido por mais de duas semanas com as ruas cheias de água. Na manhã desta segunda-feira, 28, várias ruas permaneciam alagadas.

 

Veja também:

mais imagens Galeria de imagens do Natal molhado no Jardim Romano

linkFamília presa na correnteza é resgatada por PMs em Guarulhos

link Chuvas continuam em boa parte do País nesta segunda

  

Durante a tarde, antes de as chuvas provocarem novos estragos, cerca de 200 moradores atearam fogo em pneus, pedaços de madeira e papelão, interditando a Rua Manuel Félix de Lima, para reivindicar a reposição de pertences estragados. Eram cerca de 200 manifestantes, de acordo com a Defesa Civil do Estado de São Paulo. "Ninguém resolve o nosso problema, então decidimos fazer alguma coisa", justifica-se o comerciante Hermes Fernando da Silveira Filho, que vive ali há 9 anos. "E amanhã (hoje) vai ter mais", promete.

 

A Defesa Civil acionou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Uma hora depois, o grupo interrompeu o protesto. Um manifestante foi detido por desacato e encaminhado ao 59º Distrito Policial - no fim da tarde de ontem, acabou liberado. "Os moradores nos mostraram os danos ocorridos em suas casas", relata o capitão Toni Kasai, da Defesa Civil. "Eles querem a reposição dos pertences que perderam e uma solução definitiva para o problema da inundação." Segundo Kasai, oficialmente há apenas um cadastramento feito pela Prefeitura para providenciar nova moradia àquela população.

 

Após o protesto, a Rua Manuel Félix de Lima era o retrato da desesperança: uma poça d’água - e de lama - do tamanho de um quarteirão estava rodeada por montes de cinzas e de pessoas cabisbaixas que perderam tudo neste dezembro.

 

Bairro da zona leste passou o Natal parcialmente alagado. Foto: Tiago Queiroz/AE - 26/12/09

 

Medidas

 

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que percorreu neste sábado, 26, a região do Jardim Romano e acompanhou, junto com o vice-governador Alberto Goldman, o trabalho das equipes de apoio à população, deve anunciar nesta segunda-feira novas medidas que, de acordo com a Prefeitura, vão beneficiar os moradores da região.

 

Segundo a Prefeitura, as famílias estão sendo visitadas por assistentes sociais que orientam sobre o cadastramento no projeto proposto para a região. A força-tarefa já presente no local inclui médicos, dentistas, assistentes sociais e uma unidade móvel do Poupatempo. Já foram removidas 100 famílias para apartamentos da CDHU em Itaquaquecetuba e outras 240 unidades já estão sendo liberadas para receber famílias, segundo a Prefeitura.

 

Outros bairros

 

Por volta das 23 horas do domingo, 27, pelo menos sete barracos desabaram na Rua do Bamburral, na região de Perus, na zona norte da capital paulista. Uma pessoa ficou levemente ferida e foi encaminhada ao Pronto-Socorro de Taipas.

 

Por conta das chuvas que atingiram a capital desde a noite de domingo, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) deixou a cidade de São Paulo em estado de atenção das 23h20 à 1h27. A chuva foi provocada por uma área de instabilidade vinda do interior do Estado. Devido ao grande volume de água, cinco pontos de alagamentos foram formados. Um deles intransitável, segundo o CGE. Por volta das 8h30 de hoje, apenas três permaneciam ativos. Um deles na Ponte Aricanduva, outro na Marginal do Pinheiros e outro na Rua da Cantareira.

 

(Com Edison Veiga, de O Estado de S.Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.