Wagner Bordin/Estadão.com.br
Wagner Bordin/Estadão.com.br

Chuva provoca 5 mortes em SP; rios Tietê e Pinheiros transbordam

CET registra 53 pontos de alagamento por toda a cidade; diversos deslizamentos também foram contabilizados

BRUNO LUPION, Estadão.com.br

11 Janeiro 2011 | 06h50

SÃO PAULO - A forte chuva que atingiu São Paulo na noite de segunda-feira, 10, fez transbordar os rios Pinheiros e Tietê e os córregos Cabuçu de Baixo, na zona norte, Jaguaré, na zona oeste, e Morro do S, na zona sul. Cinco pessoas morreram e três ficaram feridas em deslizamentos na capital e em Mauá, na Grande SP. Duas vítimas ainda estão desaparecidas.  

 

Veja também:        

 

 

link Casas desabam em São José dos Campos e seis pessoas estão desaparecidas

forum Está preso em algum lugar por causa da enchente? Deixe seu relato

blog Acompanhe o trânsito em São Paulo em tempo real

Na manhã desta terça-feira, 53 pontos da cidade permanecem alagados, de um total de 120 contabilizados desde o início da chuva, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). A Marginal Tietê apresenta quatro pontos de alagamento: no acesso à Rodovia Presidente Dutra, na altura da Ponte do Piqueri, sob a Ponte do Limão e na região do Cebolão, próximo ao acesso à Rodovia Castello Branco.

Durante a madrugada o Corpo de Bombeiros recebeu chamados de dezenas de pessoas ilhadas pela cidade, e o Rio Pinheiros extravasou na altura da Ponte da Cidade Universitária. Moradores do Jardim Rochdale, na divisa com Osasco, relatam que a água do Rio Tietê invadiu cerca de 50 casas, destruindo móveis e eletrodomésticos. "Sábado aconteceu isso, hoje de novo. A água subiu tanto que está batendo no pescoço de alguns moradores", disse o motorista Rodrigo Silva, de 38 anos.

Deslizamentos. O Corpo de Bombeiros registrou diversos deslizamentos na capital, com quatro mortos e um ferido. Até a manhã desta terça-feira, a corporação não tinha um balanço do total de ocorrências do tipo. Em Mauá, na Grande SP, deslizamentos deixaram um morto e duas pessoas desaparecidas.

O aposentado Amaro Gabriel do Nascimento, de 76 anos, foi vítima de um soterramento na Rua Nilton Machado de Barros, no Capão Redondo, zona sul da capital. Seu neto, de 17 anos, escapou com uma perna fraturada. Na Rua Virgínia de Araújo, Tremembé, zona norte, outro deslizamento deixou duas pessoas mortas, segundo o Corpo de Bombeiros.

Um morador de rua também morreu na Rua Major Quedinho, região central de São Paulo. Segundo testemunhas, ele foi arrastado pela enxurrada até bater em um carro. O homem foi socorrido à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.

Em Mauá, duas pessoas estão desaparecidas após duas casas deslizaram sobre uma residência na Rua Prefeito Dorival Resende da Silva, no Alto da Boa Vista. Os bombeiros continuam as buscas. Na Rua Vereador Alberto Ratti, no Jardim Rosina, uma pessoa morreu soterrada em casa.

Na Rua Zoaldo Ferreira da Silva, na Vila Santa Cecília, um morador fraturou a perna após sua residência ser atingida pela terra que desceu de uma encosta.

Previsão. Até as 4h30 de terça-feira, choveu 125,2mm na estação telemétrica Cabuçu de Cima - Vila Galvão, na região norte, divisa com Guarulhos, e 118,8mm na estação do Rio Tietê em São Miguel, na zona leste. Na estação da Bela Vista, região central, a precipitação alcançou 96,8mm.

No momento há apenas chuva leve e chuviscos isolados na cidade, mas ainda pode haver novos alagamentos devido ao refluxo dos rios, segundo o CGE. O órgão ressalta que o solo encharcado mantém elevado o risco de inundações e deslizamentos de terra.

O tempo não muda muito ao longo da semana e segue abafado com sol entre nuvens na capital, com termômetros oscilando entre 19ºC e 29ºC. As chuvas continuam ocorrendo na forma de pancadas, principalmente no final das tardes, e permanece elevado o risco de alagamentos e deslizamentos de terra.

 

Imagem tirada por volta das 4 horas da manhã da marginal Tietê

Mais conteúdo sobre:
chuva alagamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.