Chuva pode voltar a atingir SP na tarde desta sexta

Pancadas mais fortes devem ocorrer principalmente na faixa litorânea e nas proximidades da divisa com MG

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

22 de fevereiro de 2008 | 12h31

Boletim meteorológico divulgado nesta sexta-feira, 22, pela Defesa Civil Estadual informa que no decorrer da tarde desta sexta-feira, 22, as chuvas retornam na forma de pancadas para a maior parte das regiões paulistas, porém de forma mais isolada. Mesmo assim, podem ocorrer pontos de maior intensidade, com descargas elétricas, rajadas de vento e potencial para queda de árvores, destelhamentos, alagamentos e inundações, principalmente na faixa litorânea e nas proximidades da divisa com Minas Gerais.   Também há risco de deslizamentos de terra, em função do solo que se encontra encharcado, especialmente entre a Grande São Paulo, Baixada Santista e o Vale do Paraíba.   Segundo o boletim, a frente fria que causou chuvas fortes em São Paulo nesta quinta-feira, 21, afastou-se para o litoral fluminense, mas ainda deixa muita variação de nuvens na faixa litorânea e ao longo da divisa com Minas Gerais. O tempo segue abafado, com sol entre nuvens. No momento, o sol aparece entre nuvens na maior parte do Estado e eleva as temperaturas.   Esta sexta-feira ainda é um dia de alerta para a Grande São Paulo por causa do risco de novos temporais. A chuva intensa no fim da tarde e principalmente durante a noite desta última quinta-feira deixou um saldo de 62 pontos de alagamentos, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências. Vários corredores de tráfego importantes amanheceram a sexta-feira cobertos de lama. Uma das áreas mais atingidas foi o ABC Paulista. Os rios Tamanduateí e Aricanduva transbordaram e também o ribeirão dos Meninos e dos Couros, na divisa de São Paulo com o ABC.   Motoristas que normalmente levariam 1 hora e pouco para fazer o trajeto entre a capital e o ABC chegaram a demorar 6 horas para atingir o destino na noite desta quinta-feira.   Moradores das zonas sul e leste da capital paulista e do ABC contabilizam os prejuízos do temporal que atingiu parte da Grande São Paulo. O volume de chuva acumulado foi muito grande , para poucas horas. Na zona sul da capital paulista, choveu 95 mm entre 18h20 e 20h10, segundo as medições da estação meteorológica do IAG - Instituto Astronômico de Geofísico da USP. O local de medição fica na região da Água Funda, em frente ao Zoológico.   De acordo com os cálculos feitos pelos técnicos do IAG, um volume de chuva desta ordem, em apenas 2 horas, só ocorre a cada 100 anos.   Das 21h até as 22h20 choveu mais 17,8 mm. O total foi de 112,8 mm até o início da manhã desta sexta-feira Áreas de instabilidade permanecem sobre São Paulo. O ar está muito úmido e quente e há risco de novos temporais a partir da tarde. As primeiras pancadas de chuva poderão ser observadas já no início da tarde. Neste sábado, o risco de chuva forte ainda é alto. Outra frente fria chega ao Sudeste do Brasil. Além de São Paulo, esta frente fria vai aumentar o risco de chuva intensa nos demais estados do Sudeste.

Tudo o que sabemos sobre:
frente friachuvas fortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.