Chuva inesperada no dia mais quente em quatro anos

Capital registrou 34°C e meteorologistas não previram temporal à tarde; pelo menos 10 árvores caíram e bairros ficaram sem energia elétrica

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2012 | 03h03

No dia mais quente dos últimos quatro anos na capital, com 34°C, temporais causaram 16 pontos de alagamento, congestionamento e a queda de ao menos dez árvores, no fim da tarde de ontem. De acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em 31 de dezembro de 2007, os termômetros do Mirante de Santana, na zona norte, chegaram a 34,8°C. O máximo já medido na cidade foi 35,6°C, em 1940.

A chuva pegou os paulistanos de surpresa, já que os institutos de meteorologia alertavam para temporais só a partir de hoje. "Os índices não apontavam para esse tipo de ocorrência. O verão engana bastante", afirmou o meteorologista Adilson Nazário, do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

Segundo o meteorologista, uma brisa vinda do mar e o forte calor causaram temporais em vários pontos. As Avenidas 23 de Maio, Eusébio Matoso e Olavo Fontoura, entre outras vias, ficaram intransitáveis. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), São Paulo registrava 132 km de congestionamento às 18h30, índice considerado acima da média para o horário.

Bairros das zonas sul e oeste da capital ficaram sem luz durante a tarde e noite. Segundo a AES Eletropaulo, uma árvore de grande porte caiu na Rua Manoel da Nóbrega, na região do Parque do Ibirapuera, o que fez com que a energia elétrica fosse cortada nas redondezas. Por fazer parte do mesmo circuito afetado, parte dos Jardins foi atingida.

O restaurante Lellis, na Bela Cintra, ficou pelo menos 5 horas sem energia - o salão foi iluminado por velas. "Tenho restaurante aqui há 28 anos, e essa é a primeira vez que ficamos 5 horas sem luz", disse João de Lellis, de 65 anos, dono do restaurante. "Muito cliente foi embora."

Ele afirma que ligou diversas vezes para a AES Eletropaulo. "Dizem que a luz voltaria logo." O restaurante tem luz de emergência, mas ela dura uma hora e meia. "É muita falta de atenção com as pessoas que trabalham nessa cidade", reclama. Segundo a companhia, não havia previsão para o religamento da luz na região, por causa da dificuldade em remover a árvore da via.

Ruas da Vila Madalena e de Alto de Pinheiros, na zona oeste, também sofreram com a falta de energia, por causa de "um problema em um circuito", segundo a AES Eletropaulo. Até as 23 horas, a energia não havia sido restabelecida nos bairros.

Previsão. Para hoje, a previsão é de novas pancadas de chuva no fim da tarde, com bastante calor durante o dia, e temperaturas entre 19ºC e 31ºC, segundo a Climatempo.

Amanhã, com a chegada de uma frente fria, o tempo fica mais fechado. A previsão é de fim de semana nublado. /

COLABOROU VALÉRIA FRANÇA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.