WILLIAM VOLCOV/BRAZIL PHOTO PRESS
WILLIAM VOLCOV/BRAZIL PHOTO PRESS

Chuva faz córregos transbordarem e deixa ilhados na zona leste

Grupo de moradores tentou atear fogo a um ônibus em protesto contra as enchentes e entrou em confronto com a Polícia Militar

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

01 de janeiro de 2016 | 17h54

Atualizado às 20h50

SÃO PAULO - As fortes chuvas que atingiram a região metropolitana de São Paulo nesta sexta-feira, 1°, causaram transtornos com o transbordamento de quatro córregos na capital – dois na zona leste e dois na zona norte –, deixando carros e pessoas ilhadas. Um grupo de moradores tentou atear fogo a um ônibus em protesto contra as enchentes na zona leste e entrou em confronto com a polícia. Um homem caiu no Córrego do Lajeado e, até as 21h, não havia sido encontrado.

O extremo da zona leste foi a primeira região a receber pancadas de chuva, por volta das 16 horas. Uma hora e 20 minutos depois, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura colocou a região de São Mateus em estado de alerta por causa do extravasamento do Córrego Aricanduva.

Carros ficaram com água até a altura das janelas e moradores chegaram a improvisar transporte na rua com botes. O Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer quatro pessoas ilhadas no Jardim Iguatemi.

Toda a cidade entrou em atenção para alagamentos às 17h55, prejudicando o transporte público. As Linhas 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás do Metrô circularam com velocidade reduzida por causa do acúmulo de água nos trilhos. A capital tinha 13 pontos de alagamento às 20h30 – oito deles intransitáveis.

Na zona norte, o Córrego Ribeirão Vermelho, na altura da estrada turística do Jaraguá (saída da Rodovia Anhanguera), transbordou às 18h50. Como faz divisa com Osasco, o córrego também causou alagamentos nas ruas da cidade. 

Moradores relataram pelas redes sociais que bastaram apenas alguns minutos de chuva para que o bairro Portal D’Oeste ficasse debaixo d’água. No Jardim Rochdale, carros foram tomados pela água e arrastados, e as ruas ficaram submersas, com lixo boiando.

A dona de casa Joana Darq, de 51 anos, moradora da Rua Flor de Maio, ao lado do Parque Ecológico do Rochdale, ficou em casa quando começou a chuva. “Moro há 35 anos aqui e todo verão as ruas alagam quando chove. Graças a Deus, a minha casa não inunda, mas temos de esperar baixar a água para sair. Nenhum carro está conseguindo passar”, afirmou. “Nos últimos meses, com essas chuvas fortes, tem alagado quase todo dia a nossa rua.”

Às 19h13, foi a vez de o Córrego Perus, na altura da Praça Inácio Dias, também na zona norte, transbordar. Meia hora depois, o Córrego do Lajeado, na altura da Rua Manuel Barbalho de Lima, na zona leste, extravasou.

Protesto. Um grupo de cerca de 30 pessoas fez uma barricada às 18 horas e bloqueou o trânsito na Av. Ragueb Chohfi, altura no número 5.200, obrigando um ônibus a parar. A princípio, o motivo do protesto seria a reincidência das enchentes na região, já que a via fica nas proximidades do córrego alagado. Até as 18h20, no entanto, a Polícia Militar não sabia precisar a razão do ato. 

O motorista do ônibus e os passageiros foram forçados a desembarcar e o grupo depredou o veículo, atirando pedaços de madeira nos vidros, além dos extintores de incêndio retirados do próprio ônibus. A Polícia Militar chegou cerca de 15 minutos depois com seis viaturas, três motos e homens da Força Tática e soltou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes, que revidaram com pedras e pedaços de madeira.

Previsão. No sábado, 2, os ventos úmidos que passam a soprar do oceano devem causar nebulosidade com chuvas fracas e chuviscos alternados com períodos de melhoria ao longo do dia. O sol pode aparecer entre nuvens, mas as temperaturas não sobem. A temperatura vai oscilar entre os 19ºC e os 24ºC.

Tudo o que sabemos sobre:
chuvazona lesteextravasamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.