Paula Félix
Paula Félix

Chuva em SP fecha Congonhas por 50 minutos e cancela 25 voos

Situação voltou a ser normalizada na manhã desta sexta-feira, 11, mas passageiros ainda enfrentam reflexos

Marina Dayrell e Paula Felix, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2019 | 07h49
Atualizado 11 Janeiro 2019 | 10h23

SÃO PAULO - A chuva que atingiu a capital paulista e a região metropolitana na noite da última quinta-feira, 10, fez com que o Aeroporto de Congonhas ficasse 50 minutos fechado para decolagens. Segundo a Infraero, entre 21h11 e 22:01h, 25 voos foram cancelados, 8 registraram atrasos superiores a meia hora e 14 foram redirecionados para os aeroportos de Guarulhos, Viracopos, em Campinas, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Na manhã desta sexta-feira, 11, as atividades do aeroporto foram retomadas no horário habitual, às 6h, mas os passageiros ainda enfrentam os reflexos do dia anterior. De acordo com o último balanço da Infraero, das 7h, 3 voos estão atrasados, 25 estão programados e um foi cancelado.

A garçonete Charlônia Araújo, de 29 anos, tinha voo marcado para João Pessoa  (PB) às 22 horas da quinta-feira, mas ele foi cancelado. Ela ainda chegou a embarcar e passar uma hora dentro da aeronave. "Achei que a gente ia ser transferido para outro voo, mas a viagem está marcada para as 13 horas."

Ela passou a madrugada no aeroporto com a mãe e as duas filhas, de 3 e 6 anos. "Fiquei no chão e as meninas dormiram. A companhia deu alimentação e ofereceu um táxi para a gente voltar para casa, mas estamos de mudança." A família estava ainda com um gato e dois cachorros.

A professora Lubianca Julião, de 47 anos, e a filha Victória Julião, de 15 anos, estavam vindo de Campo Grande com destino a Porto Alegre e pousaram em São Paulo para trocar de aeronave por volta das 20 horas. Acabaram enfrentando um atraso que superou as 12 horas.

"Ficamos duas horas na aeronave e cancelaram tudo ao mesmo tempo. Já eram os últimos voos."

Elas passaram a madrugada no aeroporto a situação da viagem era resolvida e, às 5 horas, foram levadas para um hotel, na zona norte da cidade.

"Voltamos às 9h20 e nosso voo será às 10h15. Ontem foi um dia perdido. Estamos cansadas e irritadas."

A assistente social Eliza Kovacs, de 68 anos, viajaria às 22 horas para São José do Rio Preto, no interior paulista, e teve a viagem remarcada para as 12h20 desta sexta-feira.

"Estava chovendo e dando muitos raios. A empresa deu tudo para a gente. Fiquei em um hotel, jantei, vim hoje cedo para o aeroporto e já tomei café. A chuva é uma coisa que pode acontecer, não tem como reclamar disso."

O advogado Carlos Eduardo Costa Farah, de 44 anos, vai viajar na manhã desta sexta-feira para o Rio e não houve impacto no seu voo, mas ele encontrou filas para despachar a bagagem. "Cheguei às 6h45 e o voo é às 10 horas. Tinha muita gente e estava muito difícil. Sou deficiente e até a fila preferencial estava lotada."

A Infraero também informou que as empresas aéreas e Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) não solicitaram o pedido de prorrogação do horário de operação para pousos e decolagens na quinta-feira.

O primeiro estado de alerta foi anunciado pelo Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) para a Subprefeitura do Ipiranga às 22h49 e atingiu as zonas Sul, Norte, Oeste, Centro e marginais Tietê e Pinheiros posteriormente. O término para o estado de atenção ocorreu às 00h17 desta sexta-feira, 11, mais de uma hora depois do fechamento habitual do aeroporto, às 23h.

Durante a forte chuva, o Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar atendimento em 26 casos de enchentes, 54 quedas de árvores e 7 desabamentos sem vítimas.

Previsão do tempo para sexta-feira

De acordo com informações do CGE, a massa de ar quente e úmido continua atuando no Estado provocando altas temperaturas durante o dia e chuvas entre a tarde e a noite.

A previsão para essa sexta-feira, 11, é de média de 21ºC, com máxima prevista de 33ºC. Entre o fim da tarde e o início da noite a capital volta a ter condições para ocorrência de pancadas de chuva isoladas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.