ALEX SILVA/ ESTADÃO
ALEX SILVA/ ESTADÃO

Chuva invade prédio na zona norte de SP e deixa 1 morto; estações de metrô ficam alagadas

Zona norte da capital foi a mais castigada; Rio também teve temporal

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2019 | 19h15

SÃO PAULO - As fortes chuvas que atingiram São Paulo nesta segunda-feira, 23, alagaram ruas e avenidas, o subsolo de um prédio comercial e duas estações de Metrô. O motorista de aplicativo Jorge Garcia da Costa, de 62 anos, morreu em meio à inundação do edifício, em Santana, na zona norte. 

Segundo o capitão Alexandre Veloso, do Corpo de Bombeiros, após os passageiros desembarcarem, ele foi surpreendido por uma enxurrada que invadiu rapidamente a garagem do local, na Rua Ezequiel Freire. “Pessoas que trabalhavam no prédio ainda tentaram salvá-lo, jogando uma mangueira, mas não conseguiram”, diz Veloso. 

O empresário Cristian Maia, de 43 anos, foi um dos que ajudaram na tentativa de resgate. “Ouvi gritos de socorro quando estava no térreo e consegui vê-lo já fora do carro, mas estava mais para o fundo da garagem. A mangueira do hidrante era curta e não alcançou.” Ele diz que o motorista havia deixado os passageiros no prédio e ficou estacionado justamente para se proteger da chuva.

 

Parte da família de Costa soube da tragédia pela TV. “Estávamos vendo jornal quando passou a notícia dos desaparecidos. Logo em seguida, o filho dele ligou e contou que era meu tio”, diz Renan Barriatto, de 33 anos. Segundo ele, Costa era motorista de aplicativo havia três anos e morava no Tremembé, também na zona norte.

As buscas foram feitas com botes. Mergulhadores foram ao local, mas não atuaram por causa da péssima visibilidade. Inicialmente os bombeiros trabalhavam com a informação de dois desaparecidos, o motorista e uma passageira. Mais tarde, porém, ela apareceu. 

A zona norte foi uma das regiões mais afetadas. Os acessos para as estações Santana e Tucuruvi, da linha 1-Azul do Metrô, ficaram alagados. O Metrô informou, porém, que a operação dos trens não foi afetada e o nível de água não demorou a baixar.

Forte temporal no Rio 'escurece' cidade no meio do dia

No Rio de Janeiro, o dia virou noite nesta segunda-feira, 23, por volta das 14h30.  Com a luz do dia encoberta pela tempestade, motoristas ligaram os faróis dos carros em plena tarde, e várias ruas ficaram alagadas em poucos minutos.

 O Centro de Operações das prefeitura carioca decretou estágio de atenção por causa de forte temporal que inundou diferentes pontos da capital fluminense. O temporal caiu com mais força na zona norte e no centro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.