Chuva derruba barreiras e isola litoral sul de SP

A Rodovia Padre Manuel da Nóbrega está completamente interditada entre Itariri e Peruíbe

Zuleide de Barros, Agência Estado

13 de janeiro de 2008 | 14h33

Cerca de 4 mil pessoas estão desabrigadas em Peruíbe,  em conseqüência de uma tromba d'água que caiu na noite de sábado, 12, atingindo todo o litoral sul paulista. Até as 2 horas da madrugada, choveu mais de 200 milímetros na cidade, de acordo com o meteoroligista Celso Vernizzi, coisa que não acontecia há mais de 15 anos naquele município. A situação é mais grave em Peruíbe, por causa da queda de quatro barreiras na divisa com  Itariri, já no Vale do Ribeira. O decreto de calamidade pública já está sendo preparado pela prefeita Julieta Omuro, que assumiu a prefeitura na última segunda-feira, depois da morte do prefeito José Preto, ocorrida sábado passado.  Veja também:Imagens dos transtornos causados pela chuva  Várias estradas da região encontram-se interditadas e logo pela manhã, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) tentava liberar a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (SP-55) nas proximidades do Km 354. A previsão do diretor do DER regional, Orlando Morgado Júnior, é de que até o início da noite a estrada esteja liberada, já que as chuvas deram uma trégua a partir do meio-dia.  A alternativa para os motoristas que se dirigem ao Paraná é o desvio que está sendo feito na altura do Km 344, com o trânsito sendo encaminhado para uma avenida de Peruíbe, que tem condições de receber apenas veículos leves. Na estrada do Guaraú, a diretoria de trânsito do município vinha executando uma operação comboio, para ajudar os motoristas que pretendiam deixar aquela região.   Por volta das 14 horas, a Defesa Civil de Peruíbe ainda tentava resgatar, por intermédio de caminhões basculantes, algumas famílias ilhadas, que estavam sendo encaminhadas para o Centro de Convenções, localizado na zona central, e para o Centro Comunitário da Caraminguava, bairro de periferia, bastante atingido pelas águas. Até agora, foram encaminhadas 800 famílias aos dois locais. A situação também é crítica nos municípios vizinhos de Itanhaém e Mongaguá, onde o volume de chuvas também foi grande. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.