Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Chuva derruba árvores em SP e causa apagão em Campinas

Marginal do Tietê está com tráfego liberado após queda de passarela na quinta-feira; ventos chegaram a 97,5 km por hora em Campinas

José Maria Tomazela e Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2019 | 11h29

SÃO PAULO - A chuva intensa que chegou ao Estado de São Paulo na noite de quinta-feira, 14, derrubou árvores e causou alagamentos na capital paulista e em parte dos municípios da região metropolitana e do interior. Campinas chegou a registrar um apagão temporário em alguns bairros.

Segundo o Corpo de Bombeiros, foram abertos 69 chamados para queda de árvore na cidade de São Paulo entre as 19 horas de quinta e as 6 horas desta sexta-feira, 15. Na noite anterior, também foram abertos oito pedidos para atender desmoronamentos e desabamentos. Durante a chuva, uma passarela temporária caiu na Marginal do Tietê, ferindo duas pessoas. A estrutura foi tirada da via, que foi liberada para o tráfego durante a madrugada. 

Também na madrugada, por volta das 5 horas, um veículo colidiu com uma árvore no Capão Redondo, zona sul, deixando duas vítimas fatais. Além disso, logo após a meia noite, um ônibus bateu em um muro em Aricanduva, na zona leste, deixando dois feridos. 

Às 11 horas, o último balanço do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), vinculado à Prefeitura, apontava um ponto de alagamento -  localizado na Avenida Salim Farah Maluf, no sentido Vila Prudente. 

Segundo o CGE, as rajadas de vento chegaram a 81,5 km por hora no Aeroporto do Campo de Marte, na zona norte. A previsão é que a chuva se mantenha ao longo do dia, com temperatura máxima de 25º C, mas que o fim de semana seja de tempo seco e sol entre nuvens.

Campinas tem ventos de até 97,5 km por hora e apagão

Um temporal com ventos de até 97,5 km por hora causou a queda de árvores e deixou bairros sem energia, entre a noite de quinta e a madrugada desta sexta-feira, em Campinas, interior de São Paulo. Conforme a Defesa Civil, ao menos 35 árvores caíram e algumas atingiram a rede elétrica, causando interrupção no fornecimento de energia. Algumas regiões permaneciam sem luz de manhã. Várias ruas ficaram interditadas por troncos e galhos.

Equipes dos setores de trânsito e parques da prefeitura realizavam a desobstrução das vias na manhã desta sexta. As áreas mais atingidas foram o Jardim Flamboyant, Jardim Santa Rita de Cássia, Parque Dom Pedro II e Distrito de Sousas. No Jardim São Vicente, uma árvore caiu sobre um automóvel, mas não houve feridos. Conforme o Centro de Pesquisas Meteorológicas da Unicamp (Cepagri), o vento mais forte foi medido no distrito de Barão Geraldo. O índice de chuva atingiu 25 milímetros.

A falta de energia causou confusão no trânsito, com o desligamento de semáforos, e afetou empresas. O jornal Correio Popular divulgou comunicado aos leitores informando que o apagão causou danos à rede elétrica interna da central de produção e inviabilizou a edição impressa desta sexta-feira. A concessionária CPFL informou que, em razão da chuva, houve interrupção no fornecimento de energia em alguns bairros, mas as equipes foram às ruas para restabelecer a rede elétrica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.