Chuva derruba árvores e deixa bairros sem luz

Após seis dias de calor intenso, capital paulista registrou temporal com ventos fortes, principalmente nas zonas sul e oeste e na região central

Rodrigo Burgarelli, O Estadao de S.Paulo

15 Março 2010 | 00h00

A chuva voltou a cair em São Paulo, ontem, após seis dias seguidos de sol e temperaturas altas. Junto com ela, caíram também árvores e fiações elétricas, o que causou transtornos em diversos pontos da capital paulista, que também teve semáforos apagados.

Entre as áreas mais atingidas estão as zonas sul e oeste, especialmente os bairros de Itaim-Bibi, Pinheiros, Alto da Lapa, Perdizes, Lapa, Vila Romana, Jardins e Morumbi. Nesses locais, dezenas de árvores foram derrubadas pela ventania e vários moradores ficaram sem luz após o rompimento de fiações elétricas.

A queda de árvores e a falta de energia ocasionaram situações problemáticas nessas regiões. No Estádio do Morumbi, na zona sul, a falta de energia chegou a interromper por alguns minutos o jogo entre São Paulo e Rio Branco, pelo Campeonato Paulista. Na Avenida Brasil, na altura da Avenida Rebouças, um carro acabou atingido por duas árvores. Segundo a Polícia Militar, um homem ficou ferido no acidente.

Incêndio. Na Lapa, zona oeste, um Volkswagen Polo preto pegou fogo após ser atingido por um cabo da Eletropaulo, que caiu sobre o veículo depois de uma explosão em um transformador. "O jeito é acionar o seguro", disse o proprietário do Polo, o engenheiro Roberto Barros. Na Praça Ugo Uliani com Rua Racine, na Vila Leopoldina, a ventania derrubou um eucalipto sobre um carro por volta das 12h. O motorista Aparecido Ferrari, de 30 anos, sofreu arranhões na testa, braços e pernas.

No total, o Corpo de Bombeiros contabilizou 71 árvores caídas em toda a cidade por causa do temporal, até as 19h de ontem. Vinte delas, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), bloqueavam ruas e avenidas de São Paulo e atrapalhavam o trânsito. Foram registrados também nove pontos de alagamento, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Às 19h30, quatro deles estavam intransitáveis: Avenida 23 de Maio na altura do Anhangabaú, Praça da Bandeira e Rua Benjamin Constant, na região central, além da Avenida Inajar de Souza, zona norte.

O CGE disse ainda que a velocidade do vento chegou a 81km/h. Na região da Consolação, onde o volume de chuva foi maior, choveu 29mm até 19h.

Frio. O motivo da virada no tempo, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), foi o período prolongado de calor, que aumentou a evaporação e o acúmulo de água na atmosfera. Segundo o órgão, o tempo chuvoso e as ventanias devem se prolongar pelo menos até o final da semana. Isso acontece porque a instabilidade será reforçada com a chegada de uma frente fria do Sul, que atinge o litoral paulista hoje à noite.

Segundo o meteorologista Luiz Kondraski, do Cptec, a frente vai ajudar a manter as temperaturas mais baixas na capital e no litoral, apesar de ter efeito limitado.

"É uma frente fria mais fraca, que não vai conseguir adentrar o continente." A previsão para São Paulo é que a temperatura mínima passe de 23ºC, hoje, para 19ºC amanhã e 17ºC na quarta, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). / Colaborou Ricardo Valota

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.