Chuva causa morte e estragos no interior de São Paulo

Jovem está desaparecido após ser arrastado por enxurrada em Itaí; dezenas de imóveis foram afetados

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2011 | 19h11

SOROCABA - Chuvas típicas de verão em plena primavera já causam mortes e estragos no interior de São Paulo. Um jovem está desaparecido desde sábado após ser arrastado pela enxurrada, em Itaí, e um pescador foi encontrado morto depois de afogar-se em um córrego em Lins, no mesmo dia.

Bombeiros e policiais militares retomaram as buscas do corpo de Jefferson Henrique de Souza Cardoso, de 18 anos, arrastado quando tentava atravessar de bicicleta uma enxurrada no bairro Capão Cesário, em Itaí, no sudoeste paulista.

Ele caiu e foi tragado por uma canaleta que despeja as águas no Ribeirão dos Carrapatos. Dois homens jogaram uma corda na tentativa de salvar o rapaz, mas ele bateu a cabeça num cano e desapareceu na correnteza.

O pescador Luis Vieira da Silva, de 49 anos, também morreu afogado nas águas do córrego que corta uma fazenda no Bairro Tangará, em Lins, na região noroeste. Ele saiu para pescar e não voltou. O rio havia transbordado por causa das chuvas. O corpo foi resgatado no sábado.

De acordo com a família, a vítima sofria de epilepsia e pode ter escorregado. As chuvas de domingo causaram o transbordamento do Rio Jaú, município do mesmo nome, na região central do Estado.

Estragos. De acordo com a Defesa Civil, 27 casas foram inundadas no centro e nos bairros Bela Vista, Potunduva, São José e São Judas Tadeu. Cerca de 60 pessoas foram atingidas. Em Assis, no oeste, as chuvas causaram nove pontos de alagamento e derrubaram árvores.

Em Bauru, na região noroeste, as chuvas agravaram a situação dos moradores do Jardim Mary Dota, onde as casas da Cohab apresentam trincas. Pelo menos 26 imóveis estão comprometidos e 12 famílias já foram removidas.

Verão. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil reforçou o treinamento das equipes para a Operação Verão, de prevenção a mortes e acidentes causados pelas chuvas, que terá início dia 1º de dezembro e segue até 31 de março.

A previsão é de chuvas acompanhadas de ventos fortes e raios, com risco de deslizamentos e inundações. As áreas mais suscetíveis, e que operam planos preventivos, são as regiões de Sorocaba, Vale do Paraíba, Campinas, Litoral Norte, Região Metropolitana de São Paulo e Vale do Ribeira.

Mais conteúdo sobre:
chuvas estrago interior de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.