Chuva alaga ruas e provoca lentidão em SP no 1º dia útil do ano

Capital teve 111 km de consgestionamentos; após interdição por alagamento, Túnel do Anhangabaú foi liberado

Maíra Teixeira e Rita Cirne,

04 Janeiro 2010 | 17h53

Chuva que caiu na região central no fim da tarde inundou a Avenida 9 de Julho, no vale do Anhangabaú

 

SÃO PAULO - A queda de um muro na avenida 23 de Maio, em São Paulo, atingiu dois carros e acentuou a lentidão no corredor norte-sul nesta segunda-feira, 4, que ficou completamente congestionado em decorrência de um alagamento no Túnel do Anhangabaú. O acidente ocorreu na altura do acesso à Ligação Leste Oeste.  

 

A chuva que atingiu a capital paulista deixou varios pontos de alagamento na cidade. Um dos mais críticos para fluidez do trânsito foi no Túnel do Anhangabaú, no centro da cidade. A passagem foi totalmente liberada às 20h10.

 

No primeiro dia útil do ano, a tempestade fez a capital chegar a 111 km de congestionamento, às 19h10, e deixou árvores interditando grandes avenidas, bairros sem iluminação, dezenas de faróis apagados e provocou a paralisação da Linha Azul (norte-sul) do metrô durante uma hora. Às 20h30, o índice de congestionamento chegava a 42 km. Em apenas quatro dias já choveu 67,7mm na cidade, o equivalente a 28,32% do esperado para janeiro.

 

A chuva forte com rajadas de ventos deixou a cidade em estado de atenção nesta segunda-feira, e derrubou uma árvore no trecho de superfície do Metrô entre as estações Tiradentes e Armênia, por volta das 15h30. O trecho fica na linha Azul do Metrô, que liga o Jabaquara ao Tucuruvi, que interrompeu a circulação de trens no sentido da estação Tucuruvi por quase uma hora. A árvore foi retirada pelos bombeiros às 16h32 e os trens voltaram a circular.

 

Congestionamento na Avenida 23 de Maio sentido Aeroporto /centro devido a queda de um muro

 

A chuva provocou 28 pontos de alagamentos, dois deles intransitáveis: na Radial leste, no cruzamento da Avenida Alcântara Machado com o Viaduto Bresser e na Marginal Pinheiros, próximo à Ponte Euzébio Matoso. A falta de energia elétrica em alguns bairros da cidade deixou 20 cruzamentos com semáforos apagados.

 

O Aeroporto de Congonhas também ficou fechado entre às 15h e às 15h44. De acordo com a Infraero, até às 15h, dos 137 voos de Congonhas, 25 tiveram atraso de mais de 30 min e outros sete foram cancelados.

 

Às 17h30, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) já havia retirado todos os estados de atenção da capital.

 

 Muro que caiu sobre dois carros na saida da 23 de Maio, próximo do Viaduto Jaceguai

 

Ventos

 

O temporal que atingiu a capital teve ventos de quase 90km/h, segundo o Climatempo. No aeroporto de Congonhas, na zona sul, o vento chegou a quase 89km/h, às 15h05. No Campo de Marte, na zona norte, as rajadas chegavam aos 65 km/h, pouco depois das 15h30. Segundo o órgão, pode chover forte ainda na noite desta segunda.

 

Notícia atualizada às 22h30

 

 

Mais conteúdo sobre:
trânsito CET queda 23 de maio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.