Chorão, do Charlie Brown, é achado morto e polícia suspeita de overdose

Corpo foi encontrado no apartamento do vocalista em Pinheiros; um laudo conclusivo sobre o caso só deve ser divulgado em 15 dias

JOTABÊ MEDEIROS , WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

07 Março 2013 | 02h09

O cantor Alexandre Magno Abrão, o Chorão, de 42 anos, líder da banda Charlie Brown Jr. foi encontrado morto, na madrugada de ontem, em seu apartamento na Rua Morás, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Ele estava caído, de bruços, próximo da bancada da cozinha. A principal hipótese para a morte é overdose de drogas ou remédios. O enterro ocorre hoje, em Santos.

No local, foram encontradas diversas garrafas e latas de vinho, cerveja e energético, além de pequena quantidade de uma substância branca que, segundo os policiais, aparenta ser cocaína. A substância estava sobre uma bancada e ao lado de um canudo feito com uma folha de cheque enrolada - usado normalmente para aspirar cocaína. O local estava totalmente destruído e sujo.

Um laudo conclusivo do Instituto Médico-Legal (IML) sobre o caso só deve ser divulgado em 15 dias. A polícia ainda investiga as circunstâncias da morte.

A empresa Time for Fun informou que os ingressos para o show de 6 de abril, no Credicard Hall, em São Paulo, serão reembolsados. O evento marcava os 20 anos do Charlie Brown Jr.

O futuro da banda é incerto. Com Chorão, ela deixa 11 álbuns e vendeu cerca de 5 milhões de discos. Ganhou prêmios Grammys, VMBs e outras inúmeras distinções. Como líder (mais dono do que líder) do grupo, Chorão projetou-se como um grande artista do entretenimento, notável fazedor de hits, ao mesmo tempo em que cortejava a imagem do rock star clássico, temperamental e difícil.

Repercussão. Vindo da cena do skate amador paulistano (mudou-se para Santos ainda adolescente), o cantor montou a banda no momento certo, crescendo na orfandade dos Mamonas Assassinas, de quem herdou a irreverência. Sua reputação atravessava fronteiras. Na página oficial no Facebook, o grupo americano Guns N'Roses postou ontem a mensagem: "Chorando a perda de nosso irmão Brasileiro. Descanse em paz, Chorão. Esta Don't Cry vai para você."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.