Chinatown de NY inspirou as suzurantos

Um dos maiores símbolos da cultura japonesa na capital, as suzurantos, luminárias orientais da Liberdade, no centro de São Paulo, foram instaladas a partir de 1969, quando a Prefeitura iniciou um plano para transformar o bairro em uma atração turística. O projeto foi feito por Randolfo Marques Lobato, jornalista e presidente de uma comissão de chineses, coreanos, japoneses e vietnamitas radicados ou estabelecidos no bairro.

O Estado de S.Paulo

22 Abril 2012 | 03h03

A ideia era copiar a Chinatown de Nova York, nos EUA. Nesta época, o bairro da Liberdade tinha cerca de 90 lojas, 50 casas noturnas, 3 cinemas e 60 restaurantes.

Ao todo, foram instalados 439 postes de luz do bairro, com um total de 1.280 globos de plástico. Hoje, no entanto, a situação não é das melhores. Muitas luminárias estão apagadas ou mesmo ruindo por causa da falta de manutenção - não é preciso muito esforço para ver um festival de luzes queimadas, cápsulas encardidas ou quebradas, suportes enferrujados, postes amassados e com a pintura descascada.

A última grande manutenção foi feita pelo governo municipal em 2008, ao custo de R$ 1,1 milhão. Segundo a Prefeitura, no entanto, o Departamento de Iluminação Pública (Ilume) realiza constantes operações de manutenção nas luminárias, incluindo troca de lâmpadas queimadas e limpeza de postes e globos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.