Chegam a 49 casas alagadas na Grande SP; água começa a baixar

Residências das cidades de Carapicuíba e Barueri foram danificadas; nível de rio subiu durante esta madrugada

Solange Spigliatti, Central Notícias

27 de outubro de 2009 | 13h41

Balanço das defesas civis de Carapicuíba e de Barueri, na região metropolitana de São Paulo, concluiu que 49 casas já foram atingidas pelo alagamento ocorrido na madrugada desta terça-feira, 27. A área atingida, um terreno particular, foi invadida irregularmente pelas famílias, de acordo com a Secretaria de Comunicação Social de Barueri. O alagamento ocorreu nos bairros Vila Lurdes, em Carapicuíba, onde 30 casas foram atingidas, e outras 19 residências no Jardim Maria Helena, em Barueri.    

 

 

 

Por volta das 13h, a água havia baixado e equipes da Prefeitura de Carapicuíba, segundo o diretor da Defesa civil municipal, José Moreira Almeida, deu início aos trabalhos de limpeza na região. Um carro-pipa estava limpando as ruas do Jardim Maria Helena, que foram tomadas pela água do córrego Cotia, segundo Almeida. Equipes da promoção social da prefeitura também estão cadastrando as famílias para que possam receber o bolsa-aluguel.

 

Barragem de Baixo Cotia transbordando. Foto: Sérgio Neves/AE

 

Segundo a Defesa Civil da cidade, ainda não há confirmação sobre o que teria causado o transbordamento do rio. A região sofreu com uma forte chuva, por volta das 22 horas de segunda. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o índice pluviométrico chegou a 94,4mm.

 

Moradores afirmam que a Sabesp havia liberado a água do reservatório na região após as águas da chuva terem invadido a casa de máquinas da unidade. A estatal informou em nota, no entanto, "que o problema ocorrido nos municípios nada tem a ver com qualquer anormalidade nas represas da Graça e Pedro Beicht". Segundo a empresa, o transbordamento foi provocado apenas pelo excesso de água da chuva.

Tudo o que sabemos sobre:
alagamentoCarapicuíbaBarueriSabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.