Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Chamar de 'coxinha' não é pejorativo, diz Haddad

Haddad usou termo em uma rede social para se referir a crítico das ciclovias; Alckmin evitou polemizar tuíte do petista

Juliana Diógenes e Rafael Italiani , O Estado de S. Paulo

15 Junho 2015 | 16h28

Atualizada às 21h33

SÃO PAULO - Um dia após usar o termo “coxinha” em uma rede social para se referir a um crítico das ciclovias, o prefeito Fernando Haddad (PT) disse que não há nada de pejorativo na expressão. “Quando você faz política de boa-fé e com bom humor, você desanuvia o ambiente”, afirmou, durante evento público no Teatro Municipal, no centro da capital, nesta segunda-feira, 15.

Haddad atraiu a atenção na internet no domingo, ao chamar uma pessoa que havia criticado o projeto das ciclovias de “coxinha” em seu perfil do Twitter. “Hoje fui ao excepcional Veloso Bar comer coxinha e um coxinha reclamou das ciclovias. Fiquei confuso”, escreveu na rede social. Nesta segunda, o prefeito não detalhou a conversa com o crítico, entretanto, minimizou o fato, afirmando que “(Foi uma) troca de ironias, mas muito tranquila e bem-humorada”.

Cercado por jornalistas, nesta segunda, Haddad aproveitou para alfinetar a imprensa. “Já fui chamado de coxinha até por jornalista. Não vejo nada de pejorativo nisso. O próprio Estadão tratou na manchete os atuais manifestantes de coxinhas. Não acho que o Estadão ofendeu ninguém com isso”, disse, se referindo à reportagem Em dois anos, manifestantes por tarifa zero dão lugar a ‘coxinhas’, publicada no domingo. 

Em fevereiro, o prefeito já havia criticado pelo Twitter os opositores a um grafite criado pelo artista plástico Rafael Hayashi, de 29 anos. O painel retratava um africano. Para alguns, entretanto, o desenho lembrava o ex-presidente da Venezuela Hugo Chávez.

Sem polêmica. Durante a entrega de ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), nesta segunda, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) não quis polemizar o tuíte do petista. “Governador, o senhor também gosta da coxinha do Veloso?”, perguntou uma jornalista. Como já havia feito outras vezes para fugir de polêmica, Alckmin riu e respondeu com um provérbio: “Em festa de jacu, inhambu não entra”. 

Mais conteúdo sobre:
Fernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.