Edson Temoteo/Futura Press
Edson Temoteo/Futura Press

Chacina em Guarulhos deixa quatro mortos e um ferido

Grupo estava em um bar na Vila Galvão quando foi atacado por suspeitos em um carro preto; quinta vítima segue internada

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2016 | 10h54

*Atualizado às 16h10

Quatro pessoas morreram e outra ficou ferida na primeira chacina de 2016 em São Paulo. Os assassinatos aconteceram pouco depois da zero hora de ontem na frente do Bar do Bebeto, que fica na Vila São Rafael, bairro de Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a perícia não encontrou marcas de tiros nem cápsulas deflagradas no local.

A Polícia Civil investiga se o caso está relacionado à morte de um policial militar na cidade em 30 de dezembro. De acordo com testemunhas, indivíduos desembarcaram de um carro preto, atiraram contra as vítimas e fugiram em seguida.

Adriano José Silva Araujo, de 28 anos, foi atingido por três disparos na cabeça e um no ombro. Ele foi socorrido por populares junto com Francisco Fernando Pereira Caetano, de 23, também baleado na cabeça, e Hermes Augusto Inácio Moreira, de 19, alvejado nas costas e no abdome. Os três morreram a caminho do Hospital Padre Bento.

Já Leonardo José de Souza, de 23 anos, atingido por um disparo na cabeça, chegou a ser socorrido de ambulância para o Hospital Geral de Guarulhos, mas não resistiu. Para lá também foi levada a quinta vítima, de 29, atingida no tórax e na mão – ela passou por cirurgia.

Registrado como homicídio simples, o caso será investigado pelo Setor de Homicídios da Polícia Civil de Guarulhos.

Histórico. Em 2015, a Grande São Paulo foi palco da maior chacina da história do Estado, que terminou com 23 mortos em Osasco, Barueri, Carapicuíba e Itapevi.

Mais conteúdo sobre:
violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.