CGE registra 11% de umidade relativa do ar em SP

Número é próximo ao registrado em desertos, onde o índice é de 12%, e bem abaixo do recomendado pela OMS

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

08 de setembro de 2007 | 14h24

Alguns pontos da cidade de São Paulo registraram na tarde deste sábado um dos mais baixos índices de umidade relativa do ar. Foi registrado, às 14 horas, na região de Ermelino Matarazzo, 11 % de umidade relativa do ar, considerado muito abaixo do recomendável.   O número é semelhante ao registrado em desertos, onde a umidade relativa do ar é de 12%. O índice também é bem abaixo dos 30% recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).   Outras regiões que também registraram índice baixos são Campo Limpo, na zona sul, com 13%, e Jaçanã e Tremembé, na zona norte, com 15% cada um, segundo informações do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).   A Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, alertou os estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Bahia, Piauí, Maranhão, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal sobre a baixa umidade do ar nas regiões.   A previsão é a de que este domingo, 9, a permanência da massa de ar seco que está sobre o Brasil central mantenha o clima seco. Durante esse período, alerta-se que a umidade relativa do ar ficará em torno de 20% em Goiás; no Mato Grosso do Sul; no sul, centro, leste e nordeste do Mato Grosso; no Tocantins; no oeste da Bahia; no centro e sul do Piauí; no sul do Maranhão; no oeste e norte de São Paulo; no oeste e noroeste de Minas Gerais e no Distrito Federal.   Matéria ampliada às 16h29

Tudo o que sabemos sobre:
Calorumidade do ar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.