Cetesb vai analisar 13 áreas próximas ao Center Norte

Vereadores suspeitam que locais perto do shopping Center Norte também tenham vazamento de gás porque estariam sobre lixões

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2011 | 22h45

SÃO PAULO - A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que vai investigar se existe indícios de contaminação em outras 13 áreas próximas do Center Norte. A informação foi dada em audiência pública para discutir a solução para o vazamento de gás metano no Shopping Center Norte.

Com base em levantamentos fotográficos de 1950 e de 1978, comparados com a atual ocupação da várzea do Rio Tietê na região da Vila Maria, o vereador Juscelino Gadelha (PSD) suspeita que locais como o Estádio do Canindé também estão sobre antigos lixões, correndo o risco de ter vazamento de gás metano semelhante.

Ampliados, os levantamentos fotográficos - feitos por meio de pesquisas no Google - indicam que lagoas ao lado do Tietê, de onde era retirada terra para construção de prédios e de obras públicas nos anos 1950, viraram aterros duas décadas depois. Pelas fotos observa-se que esses lixões foram ocupados por prédios, casas, comércios e pelo Shopping Center Norte.

Não se sabe ao certo como foi a ocupação dessa área de várzea. Pelas leis atuais de uso e ocupação do solo, nem o Anhembi - principal centro de convenções da Prefeitura de São Paulo - poderia ser erguido tão perto da várzea do Tietê.

O pedido de investigação dessas áreas, feito nesta quarta-feira, 28, formalmente pela Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, também foi destinado a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, entre outros órgãos. "Nossa proposta é fazer uma varredura para tentar compreender se tem outros focos problemáticos naquela região. Lá tem outras indústrias, residências, prédios, parques", justificou o vereador Juscelino Gadelha (PSD), autor da requisição.

Ele apresentou o mapa com as áreas supostamente contaminadas a técnicos da Cetesb durante a audiência pública na Câmara. Segundo Gadelha, o mapa é do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.

Indagados sobre o assunto, os representantes da companhia reconheceram que os locais citados podem apresentar problemas e se mostraram dispostos a iniciar as análises. "As fotos demonstram que situações semelhantes à do Center Norte podem se repetir nesses locais e realmente precisam de investigação", disse o gerente do Departamento de Áreas Contaminadas da Cetesb, Elton Gloeden.

Sem prazo. Os representantes da companhia destacaram, porém, que não existe prazo para que a investigação seja estendidas a outras áreas. "O que temos de certo, por enquanto, é que houve contaminação no Cingapura e no Center Norte", afirmou o gerente de Áreas Contaminadas, Rodrigo Cunha.

Colaboração de Felipe Tau

Tudo o que sabemos sobre:
CetesbCenterNorteexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.