Cetesb pede explicações na Justiça à mulher de acionista do Center Norte

Yara Baumgart disse ao 'Estadão' que órgão se sentiu preterido por ter empresa indicada recusada

Estadão.com.br,

06 Outubro 2011 | 19h04

SÃO PAULO - A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) interpelou judicialmente a empresária Yara Baumgart, mulher de um dos principais acionistas do Shopping Center Norte, para que, no prazo de 48 horas, dê explicações sobre suas declarações ao jornal O Estado de S. Paulo, em entrevista publicada na edição impressa desta quinta-feira, 6.

Yara Baumgart disse que a notícia do perigo de explosão do centro comercial só cresceu tanto porque a família rompeu o contrato com a Tecnohidro, empresa indicada pela Cetesb para resolver o problema de mitigação de gases no local, e chamou outra, a multinacional Environ, de escolha própria. "Eles se sentiram preteridos e fizeram crescer a história da explosão", diz Yara.

A direção do órgão considerou as afirmações caluniosas, difamatórias e injuriosas, portanto, ilícitos jurídicos tipificados no Código Penal e na Lei de Imprensa.

Readequação. A Cetesb suspendeu a multa diária de R$ 17.450,00 imposta, desde 19 de setembro, ao Shopping Center Norte. O órgão considerou que a exigência para a instalação de um sistema emergencial de drenos para extração de gás metano do subsolo foi atendida.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, acenou para a reabertura do shopping ainda neste fim de semana. "Já solicitei à comissão técnica da Prefeitura que analise o laudo ainda hoje, e muito provavelmente a suspensão deve ser revogada".

Mais conteúdo sobre:
Cetesb Yara Baumgart Center Norte Estadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.