CET vai começar a testar Zona Azul eletrônica

Cinco sistemas serão usados simultaneamente a partir de novembro; ideia é adotar proposta vencedora nas 36 mil vagas do gênero em São Paulo

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2012 | 03h04

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai retomar seu projeto de criar um sistema de Zona Azul eletrônica para toda a cidade. Cinco sistemas, cada um apresentado por uma empresa diferente, serão testados simultaneamente na cidade, a partir do início de novembro. O objetivo da CET é que, até o ano que vem, pelo menos um desses modelos já esteja em funcionamento em todas as 36.170 vagas de Zona Azul de São Paulo.

Ainda não está definido quais serão as tecnologias a serem testadas pelas empresas - segundo a CET, as propostas completas dos qualificados no chamamento público ainda serão apresentadas. Só depois desse trâmite é que o nome das empresas e mais detalhes sobre os projetos serão anunciados. Está previsto apenas que os sistemas deverão ter acesso por celular, seja por compras por mensagem de texto SMS ou por meio de aplicativos para smartphones.

Inicialmente, cada empresa terá 30 dias para testar seu sistema dentro de uma área específica que será definida pela CET - nada será pago pela companhia pela oferta da tecnologia. Se a coordenadoria de informática do órgão entender ser necessário, serão ofertados mais 30 dias de teste. Depois disso, a CET vai decidir se homologa ou não cada um dos sistemas. Todos que forem homologados serão estendidos para todas as vagas de Zona Azul da capital.

Para o consultor de transportes Sérgio Ejzenberg, o essencial é que os modelos aprovados sejam os mais práticos, para aumentar a adesão. "Os critérios de avaliação têm de ser muito transparentes, para que efetivamente você tenha modelos que funcionem bem na cidade."

Segundo a CET, as empresas terão de interligar o sistema de venda eletrônica de créditos com o atual, feito por meio de talões que podem ser encontrados nos revendedores cadastrados - a lista completa está no site www.cetsp.com.br. Dessa maneira, durante o período de testes e depois, o modelo atual de talões não será abolido com a introdução do eletrônico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.