ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO
ERNESTO RODRIGUES/ESTADÃO

CET registra 117 acidentes com vítimas nas Marginais no 2º mês de novo limite

O número é 10,4% maior do que o registrado nos primeiros 30 dias de aumento dos limites de velocidade feito pela gestão Doria

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

03 Abril 2017 | 17h21

Atualizado às 19h05

SÃO PAULO - A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo registrou 117 acidentes com vítimas nas Marginais do Pinheiros e do Tietê no segundo mês de vigência dos novos limites de velocidade nas duas vias, entre 24 de fevereiro e 26 de março. Do total, 93 envolveram motos, houve quatro atropelamentos e duas mortes de motociclistas. 

O número é 10,4% maior do que o registrado nos primeiros 30 dias de aumento dos limites de velocidade feito pela gestão do prefeito João Doria (PSDB), quando foram constatados 106 ocorrências com vítimas nas marginais, sendo uma morte. Os limites subiram para 60 km/h nas pistas locais, 70 km/h nas centrais e 90 km/h nas expressas a partir do dia 25 de janeiro deste ano.

Após o fechamento do balanço do segundo mês, a CET registrou a quarta morte de um motociclista desde o aumento dos limites de velocidade. O acidente fatal ocorreu na útima quarta-feira, 30, na pista central da marginal do Tietê no sentido Castelo Branco, próximo à ponte Orestes Quércia, também conhecida como "Estaiadinha".

O balanço divulgado pela CET se refere aos dados operacionais coletados nas vias pelos agentes de trânsito da companhia, que só foram divulgados nesta gestão após o início do Programa Marginal Segura. A equipe de Doria afirma que eles não podem ser comparados com os dados operacionais da CET na gestão Fernando Haddad (PT), quando os limites foram reduzidos para 50 km/h, 60 km/h e 70 km/h, porque há 67% mais agentes operando nas marginais agora, o dobro de câmeras de monitoramento em operação e o tempo de atendimento de uma ocorrência caiu 25%, de oito para seis minutos.

Segundo a CET, a média mensal de acidentes com vítimas registrados pelos agentes de trânsito em 2016 foi de 64. De acordo com a atual gestão, os únicos dados comparáveis são os dados consolidados de acidentes que a CET divulga anualmente com base nos registros de boletins de ocorrência feitos pela Polícia Civil. Ainda de acordo com a companhia, esses dados consolidados continuam caindo mesmo após o aumento dos limites de velocidade.

Mas, como a CET precisa analisar entre 6 e 8 mil boletins de ocorrência por mês e checar os detalhes das ocorrências, os dados consolidados podem levar de 3 a 4 meses para serem fechados. O balanço anual de acidentes de trânsito em toda cidade em 2016, por exemplo, ainda não foi finalizado e só deve ser divulgado nos próximos meses. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.