JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

CET reduz velocidade máxima na Consolação para 50 km/h

Segundo a companhia, mudança, que passa a valer nesta segunda, tem como objetivo reduzir número de atropelamentos e acidentes

Felipe Resk e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

16 Março 2015 | 08h51



SÃO PAULO - Começou a valer nesta segunda-feira, 16, o novo limite de velocidade na Rua da Consolação, no centro de São Paulo. Entre a Rua Amaral Gurgel e a Avenida Paulista, um trecho de dois quilômetros, a velocidade máxima permitida será de 50 km/h. Antes, a velocidade do percurso era de 60 km/h.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que a medida está inserida no plano de redução de acidentes do Programa de Proteção à Vida. "Pretende-se melhorar a segurança dos usuários mais vulneráveis do sistema viário, pedestres e ciclistas, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos na área", declarou a companhia em nota.

A quantidade de veículos e o movimento intenso de pedestres em razão do comércio e do corredor de ônibus presentes na rua também foram apresentadas como justificativas para a aplicação da medida entre a Amaral Gurgel e a Paulista. Entre janeiro de 2011 e dezembro de 2013, aconteceram 206 acidentes com vítimas, 108 atropelamentos, resultando em seis mortes e 362 feridos e nesse trecho.

Cinquenta novas placas de sinalização vertical, além de faixas de vinil nos principais acessos, foram instaladas ao longo da via alertando os motoristas quanto à mudança.

Avaliação. A medida foi classificada como positiva pelo consultor em engenharia de transportes de pessoas Horácio Augusto Figueira. "É uma medida saudável e adequada. Certamente irá refletir na redução da quantidade de acidentes e mortes no trânsito, desde que acompanhada por ação educativa permanente e fiscalização 24 horas", disse.

Figueira ressaltou que a medida pouco afetará a vida do motorista acostumado a pegar a via nos horários de pico. "Não vai mudar nada porque o trânsito fica travado. O limite está lá para outros horários", disse.

Segundo afirma, a redução da velocidade pode representar a diferença entre um acidente fatal e outro não fatal. "Estudos mostram que a probabilidade de morte aumenta exponencialmente com o aumento da velocidade do veículo. Com menor velocidade, aumenta chance de condutor e pedestre saírem vivos de um acidente", acrescentou.

O especialista cobrou fiscalização também durante o período da madrugada, que costuma concentrar as ocorrências de acidente de trânsito. "Tem que ter fiscalização com radar e fiscalização humana com radar em viatura, que deveria fazer rondas em toda a cidade. As pessoas simplesmente aceleram muito nesse período e não tem ninguém monitorando 24 horas em São Paulo", disse Figueira.

Mais conteúdo sobre:
TrânsitoCET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.