CET recua e libera automóveis em 'zona livre de carros' da zona sul

Veículos particulares, que haviam sido proibidos no dia 1º, poderão usar uma das faixas de rolagem em ruas que eram exclusivas para o transporte coletivo

Bruno Ribeiro e Tiago Dantas - O Estado de S. Paulo,

24 de abril de 2013 | 11h35

Uma das principais inovações da gestão Fernando Haddad (PT) no setor dos transportes já foi alterada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) após pressão de motoristas. Menos de um mês após implementar a primeira “zona livre de carros” na capital, no Largo 13 de Maio,zona sul, a companhia permitiu que automóveis ocupem parte das vias no período da manhã, das 5h às 10h. A zona livre havia sido criada para aumentar a velocidade média dos ônibus da região – “prioridade zero” da CET, segundo a Secretaria Municipal de Transportes.

Com o recuo, os carros vão poder circular em uma das três faixas da Alameda Santo Amaro e da Avenida Adolfo Pinheiro no horário de pico da manhã. A medida atende reivindicação de parte dos moradores e comerciantes do bairro, insatisfeitos com as prioridade aos ônibus, e é uma prévia de resistência que a Prefeitura deve enfrentar com a instalação de 150 faixas exclusivas de ônibus na cidade – um ônibus ocupa espaço de três carros, transporta 40 pessoas, mas diminui em até 30% a capacidade das vias em receber automóveis.

Na zona livre de carros, no trecho do Largo 13 em que os carros foram proibidos, a velocidade média dos ônibus subiu de 10 km/h para 20 km/h, segundo informou há duas semanas o secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto. Na média, a fluidez aumentou 30%. A Prefeitura acompanha a velocidade média dos ônibus em tempo real, a partir de aparelhos GPS instalados nos ônibus.

No horário de pico da tarde, das 16h às 20h, as restrições aos carros na região continua. Apenas o transporte coletivo pode circular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.