Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

CET quer fechar pista expressa das Marginais na madrugada

Segundo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, horário é o que mais concentra acidentes, principalmente com caminhões

Bruno Ribeiro, Gustavo Lopes e Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

30 Julho 2015 | 12h23

SÃO PAULO - Depois de reduzir as velocidades nas Marginais do Pinheiros e do Tietê, agora a gestão Fernando Haddad (PT) quer fechar as pistas expressas durante a madrugada para evitar acidentes. "Não tem demanda, ajuda na segurança porque é o momento que os motoristas usam para correr muito, causa muito acidentes, caminhões principalmente", afirmou na manhã desta quinta-feira, 30, o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, após uma reunião no Tribunal de Contas do Município (TCM).

Segundo ele, a medida deve ser implementada ainda neste ano, após a Prefeitura construir guaritas com cancelas para interditar os acessos paras faixas expressas entre a meia-noite e às 5 horas. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já tem estudos que, de acordo com Tatto, mostram que a medida não tem impacto no trânsito. "A CET já fez um piloto e está dando certo, está andando", explicou o secretário.

Hoje, os caminhões são proibidos de circular nas Marginais entre as 5 horas e às 21 horas. Somente no final da noite e durante a madrugada é permitida a circulação. Tatto explicou que a interdição não vai ser feita em toda a extensão das pistas expressas, já que para acessar algumas rodovias é necessário acessar as faixas. Mas, nos trechos fechados por cancela, Tatto pretende jogar os motoristas para as faixas centrais e locais. "É medida de segurança."

Embora a medida seja apresentada como ação para reduzir os acidentes de trânsito, estudo de Segurança Viária da própria CET, usado como base para a política de redução dos limites de velocidade executada pela gestão Haddad, mostra que, dos 625 acidentes registrados na Marginal do Tietê em 2013, 522, ou 83,5%, foram fora da madrugada, entre 6 horas e 22 horas. Também a maior parte das mortes, 23 das 35 ocorrências, também ocorreram fora dos horários em que a Prefeitura estuda implementar essa nova restrição. 

No último dia 17, um caminhão com a caçamba levantada e em alta velocidade entalou na Ponte do Piqueri, na zona oeste de São Paulo. A pista central no sentido Rodovia Ayrton Senna da Marginal Tietê ficou interditada por 50 horas para que as equipes da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) pudessem retirar o veículo sem causar danos à estrutura. Mesmo assim, a força do impacto danificou uma viga de 60 toneladas.  

A Prefeitura, através de Fernando Haddad (PT) e de seu secretário de Transportes, já criticou obras que foram feitas nas Marginais pelo ex-governador José Serra (PSDB). O tucano gastou cerca de R$ 1,5 bilhão para reformar a Marginal do Tietê, no projeto batizado de Nova Marginal. Agora, são essas obras que vão permitir que os motoristas possam sair das expressas interditadas por Haddad e usar as centrais construídas por Serra. 


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.