GABRIELA BILO/ ESTADÃO
GABRIELA BILO/ ESTADÃO

CET instala espelho em ponto cego de ciclovia do Minhocão

Prefeitura também começou a pintar faixas de sinalização no piso; medidas foram tomadas após problemas apontados na via e morte de idoso atropelado por ciclista na faixa exclusiva de ônibus

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

27 de agosto de 2015 | 17h02

SÃO PAULO - Após os problemas apontados pelo Estado na ciclovia sobre a calçada do canteiro central abaixo do Minhocão e a morte de um idoso atropelado por um ciclista na via de ônibus, a Prefeitura começou a pintar faixas de sinalização no piso e a instalar espelhos em cada um dos lados das pilastras para que as pessoas vejam quem está vindo atrás das estruturas. A medida visa a evitar os pontos cegos da ciclofaixa, cuja reforma na parte debaixo do Minhocão custou R$ 7,6 milhões aos cofres públicos. 

Antes mesmo da pista da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) inaugurar a pista de 3,5 quilômetros, o órgão precisou fazer adequações que não estavam previstas, como grades de proteção para passageiros do transporte público perto dos pontos de ônibus: pedestres e ciclistas entravam em conflito nos pontos de embarque e desembarque. O prefeito Fernando Haddad chegou a dizer que os dois saberiam “se resolver”. A inauguração oficial foi no dia 8 de agosto. 

Dez dias após a abertura da via para ciclistas, a morte de um idoso de 78 anos reacendeu a polêmica em torno da ciclovia do Minhocão. O zelador Florisvalo Carvalho Rocha foi atropelado e morto. Segundo as investigações da polícia, o pedestre atravessou fora da faixa, enquanto o ciclista trafegava pela pista do corredor de ônibus. 

Tudo o que sabemos sobre:
CicloviaHaddadMinhocão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.