CET incentiva uso de botoeiras pelos pedestres

A cidade de São Paulo está ganhando mais semáforos com botões acionados pelos pedestres, conhecidos como botoeiras. Para estimular seu uso, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) colou adesivos chamativos em alguns. Desde maio, quando começou o programa de proteção a quem anda a pé, 160 equipamentos foram instalados. Eles servem para reduzir o tempo de espera pela travessia.

O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2011 | 03h03

Os adesivos amarelos com fundo reflexivo estão em fase de testes na Rua Coronel Xavier de Toledo e na Praça do Patriarca, no centro. Trazem a inscrição "use botoeira" em letras grandes. Segundo a CET, a intenção é destacar o botão. Como geralmente ele está embutido na estrutura, "o pedestre pode esquecer de apertá-lo".

A reportagem esteve na Xavier de Toledo, anteontem, e notou que a botoeira quase não foi usada, apesar do adesivo. O engenheiro de tráfego Sergio Ejzenberg explica que a botoeira não abre o farol ao pedestre imediatamente. "Apertar o botão significa que depois de um ciclo semafórico o verde voltará." Para o engenheiro, "uma alternativa para mostrar que a botoeira funciona é acender uma luz quando for acionada ou emitir sinal sonoro".

A capital tem cerca de 6.500 botoeiras. Os 160 equipamentos novos foram instalados "na cidade toda", segundo a CET. E semáforos eletromecânicos têm sido substituídos por eletrônicos, informou o órgão. / CAIO DO VALLE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.