Leonardo Soares/Estadão
Leonardo Soares/Estadão

Cerqueira César guarda uma joia arquitetônica (e outras curiosidades)

Edifício Guaimbê, na Haddock Lobo, foi projetado por Paulo Mendes da Rocha em 1962

O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2015 | 21h12

Há uma joia da arquitetura modernista no número 1447 da Haddock Lobo. Ali ergueu-se, em 1962, um projeto brutalista (ao estilo do MuBE, no Jardim América) do arquiteto Paulo Mendes da Rocha. O Edifício Guaimbê é um charmoso e exclusivo prédio residencial. Tem por fora paredes de concreto rasgadas por diversas “brises” que levam ao interior dos apartamentos (sem corredores) o equilíbrio da privacidade e da luz natural. 

Confira outras cinco curiosidades dobre o bairro.

1. Nome 

É uma homenagem a um ex-governador do estado, dr. José Alves Cerqueira César

2. Oswald de Andrade

O pai do famoso escritor, Dr. José Oswald de Andrade, contribuiu para a origem do bairro. Ele era proprietário da Chácara da Água Branca, da Chácara dos Pinheiros e do Sítio Rio Verde e em 1890 loteou a área pela primeira vez. Conta-se que em carta a um jornal, em 1895, ele pedia em um “marketing disfarçado” para que fosse chamada a atenção dos leitores para os terrenos baratos da Vila Cerqueira Cesar.

3. Horácio Sabino

Dono da principal incorporadora envolvida no loteamento da região dos Jardins, viveu em uma mansão na Avenida Paulista por muitos anos. Em seu lugar, na década de 50, foi erguido o Conjunto Nacional, “compartilhado” por Cerqueira Cesar, Consolação e Jardim Paulista. 

4. Cheiro ruim

Em 1915, os moradores do bairro reclamavam, no Estadão, do mau cheiro vindo do cemitério do Araçá

5. Sobre a Rua Augusta

O jornalista Daniel Piza (1970-2011) escreveu em um especial de aniversário da cidade, publicado pelo Estado em 2004, que “a rua que mais parece uma avenida foi símbolo de uma cidade “jovem guarda”, americanizadamente moderna, pontuada por carros “descendo a Rua augusta a 120 por hora”, sorveterias e seus flertes, que influenciaria fortemente os tropicalistas baianos – os quais, porém, deflagrariam seu movimento no Rio e manteriam sempre um descompasso com São Paulo. Hoje, a rua oscila entre ótimos cinemas, casas de prostituição e hotéis que lutam contra a decadência. 

Tudo o que sabemos sobre:
BairrosSPCerqueira César

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.