Cerejeiras em flor encantam o Carmo

Comunidade japonesa faz festa para o 'hanami'

O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2012 | 03h02

Com apresentações de danças folclóricas e barracas de comidas típicas, o Parque do Carmo, na zona leste, sediou no fim de semana a 34.ª Festa das Cerejeiras em Flor.

Visitantes puderam conferir o som dos taikos (um tipo de tambor japonês) e se deliciar com quitutes como o mandyu (doce recheado com massa de feijão azuki), udon (macarrão ensopado), sakura moti e tempurá.

A cerejeira é a árvore símbolo do Japão e se tornou marca dos descendentes da comunidade nipônica que vive na região de Itaquera. Todo ano, eles praticam um ritual conhecido como "hanami" - sentar sob as cerejeiras e contemplá-las durante um bom período. O vento sopra as delicadas pétalas das flores fazendo com que elas se espalhem.

O cultivo de cerejeiras na cidade começou na década de 1970 no Parque do Carmo, por influência da colônia na região. O primeiro plantio oficial foi em 1978, em comemoração aos 70 anos da imigração japonesa no Brasil. Atualmente, o Parque do Carmo possui quase 4 mil pés de cerejeira ornamental. No Bosque das Cerejeiras, cerca de 1.500 pés das espécies Oshima, Himalaia e Yukiwari já estão em fase adulta e prontas para a florada, que só ocorre em agosto e dura apenas alguns dias - por isso, a festa nesta época. / E.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.