Desabamento de casas em Paraisópolis
Desabamento de casas em Paraisópolis

Desabamento de 20 casas em Paraisópolis deixa dois feridos

Acidente em favela ao lado do Morumbi, na zona sul de São Paulo, ocorreu por volta das 7h, após a forte chuva que caiu na madrugada

Fabio Leite e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

05 Junho 2016 | 16h25

SÃO PAULO - Cerca de 20 barracos desabaram na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, no início da manhã deste domingo, 5, deixando duas pessoas feridas. O acidente ocorreu por volta das 7 horas, após o desmoronamento de um pequeno morro na Rua Pasquale Gallupi, no meio da comunidade, próximo ao cemitério do Morumbi, provocado pelas fortes chuvas que caíram na região durante a madrugada. 

As duas vítimas, que não tiveram os nomes divulgados, foram levadas pelo Corpo de Bombeiros ao Pronto Socorro de Campo Limpo, com ferimentos leves, segundo a Defesa Civil da capital. De acordo com o órgão, agentes da subprefeitura da região iam vistoriar as residências vizinhas para verificar se há algum tipo de dano e, se necessário, interditá-las.

Moradores contaram que o desabamento só não deixou vítimas fatais porque muitas famílias já haviam deixado suas casas nas últimas horas por causa da suspeita de que o morro cederia com a chuva. “Muita gente saiu de pressa porque viu que estava pendendo. A Defesa Civil já tinha passado aqui e cadastrado a gente. É falta de responsabilidade. Ninguém está aqui porque quer. Só queremos moradia”, disse o pintor Francisco Ferreira, de 40 anos. 

Dez horas após o deslizamento, ele ainda tentava recuperar alguns pertences sob os destroços. “A geladeira já era, mas estou tentando tirar o motor para vender no ferro velho e conseguir dinheiro para comprar alguma coisa para comer”, contou o pintor, que havia acabado de sair de casa para trabalhar quando o acidente aconteceu. Ele disse que dormiria na casa de algum vizinho e aguardaria o recebimento de uma moradia definitiva pela Prefeitura. 

Segundo integrantes da Guarda Civil Metropolitana (GCM), que cercavam o local no início da noite, nove barracos vizinhos ao morro que desmoronou ainda estavam ocupados. A Defesa Civil informou que permaneceria no local avaliando as condições das moradias. Segundo o órgão, sete famílias, com quatro pessoas cada, já foram cadastradas pela Assistência Social, mas, até o momento, “nenhuma delas aceitou encaminhamento para abrigos”. 

Chuva. Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mostram que os temporais que caíram em São Paulo em junho já fizeram a capital ultrapassar a média histórica de chuva no mês.

Em apenas 24 horas – entre as 9 horas de anteontem e as 9 horas de ontem – foram registrados 73,44 milímetros, segundo registro do Mirante de Santana, na zona norte da capital. Em junho já choveu 119,8 mm – a média histórica é de 55,7 mm. 

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), deve chover nos próximos dias. Hoje, a temperatura deve ficar entre 16°C e 21°C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.