Centro histórico ganha luzes de LED

Prefeitura prevê investir R$ 80 mil em projeto que inclui nova iluminação na Rua São Bento; troca visa a aumentar segurança à noite

ADRIANA FERRAZ, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2012 | 03h04

Até o fim de setembro, calçadões, praças, ruas e ladeiras que formam o centro histórico de São Paulo receberão iluminação mais moderna, de LED ou vapor metálico. O novo modelo segue o padrão já instalado na Avenida Paulista, caracterizado pela luz branca, e proporciona maior claridade e sensação de segurança. O investimento de R$ 80 mil prevê a troca de 449 lâmpadas e os primeiros resultados já podem ser vistos no Largo São Bento.

Desenvolvido pelo Departamento de Iluminação Pública (Ilume), o projeto visa a estimular a visitação noturna pelas ruas do centro que concentram prédios de valor histórico, como a sede do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), na esquina das Ruas Álvares Penteado e da Quitanda. O endereço abriga desde o início do mês uma exposição de obras impressionistas do acervo do Museu D'Orsay, de Paris, que fecha as portas às 22h. Por causa do horário do evento, as vias receberam prioridade no cronograma de instalação.

Segundo o diretor do Ilume, Aruntho Savastano, as ruas que concentram atividades comerciais e estudantis, e também aquelas que constituem rota preferencial de acesso a estações do Metro, completam a lista de prioridades. A primeira fase do projeto contemplou oito vias do centro. Na Rua São Bento, 20 luminárias de LED foram instaladas, a partir da saída da estação do metrô. Do Largo São Bento, outras 70 lâmpadas de vapor metálico foram espalhadas pelas Ruas da Quitanda, do Comércio, do Tesouro, Boa Vista, João Brícola, 15 de Novembro e Direita - elas estão no trajeto mais usual de quem visita o CCBB.

A Rua Líbero Badaró e o Largo São Francisco foram os últimos endereços atendidos. O plano agora é prosseguir com as trocas até as vias mais próximas da Praça da Sé, como a Senador Feijó, a Benjamin Constant e a Quintino Bocaiuva. Os trabalhos são feitos preferencialmente durante os fins de semana e no período noturno, de forma a interferir o mínimo possível no fluxo de pessoas pelo centro.

Os bons resultados já ampliaram a área contemplada. A Prefeitura promete agora estender a modernização na iluminação também às Ladeiras Porto Geral e General Carneiro, além dos baixos do Viaduto Boa Vista.

Economia. De acordo com a Secretaria Municipal de Serviços, a utilização das luminárias de LED e as de vapor metálico permite elevar os níveis de luminosidade e evidenciar os contrastes, valorizando até as cores das edificações. Elas são facilmente instaladas, sem a necessidade de intervenção nos postes atuais nem nos antigos, implementados em 1927. Como se trata apenas de uma troca de lâmpadas, não é necessária nenhuma obra nas estruturas existentes.

A iluminação pública da cidade hoje ainda é feita, em sua maioria, por lâmpadas de vapor de sódio. Elas são caracterizadas por uma luz amarelada, de alcance direcionado. Mais modernas, as lâmpadas de LED proporcionam, além de luz branca, mais potência na iluminação e economia de até 50% no consumo de energia elétrica.

Mas a tecnologia ainda não pode ser usada em grande escala, por causa do preço. Segundo Savastano, opções de LED têm sido usadas, por enquanto, apenas em situações especiais, como em túneis e grandes avenidas. Para o diretor, as lâmpadas de vapor metálico cumprem a mesma função, com a exceção da economia na conta. "As vias de São Paulo têm características diferentes, e os projetos levam em conta tais aspectos e necessidades."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.