Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Centro de tratamento de viciados recebe 189 pessoas em menos de um mês

Somente durante o carnaval, 47 internações foram registradas; levantamento mostra que 90% foram consentidas pela família

Juliana Deodoro, O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2013 | 12h53

Em menos de um mês, o Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), que faz parte do Programa Estadual de Enfrentamento ao Crack, internou 189 dependentes químicos, sendo que 47 internações aconteceram somente durante o Carnaval. Levantamento feito pelo governo estadual mostra que 84% dos internados são do sexo masculino e que 94% deles têm idades entre 18 e 59 anos.

Entre as internações, 90% delas foram feitas com o consentimento do paciente e o restante, cerca de 18 pacientes, foram internados involuntariamente, mas com o consentimento da família. Durante os 23 dias desde a criação do programa, nenhum usuário teve internação compulsória.

Neste mesmo período, o número de ligações de familiares e pacientes aumentou em quase 20 vezes e 1.203 atendimentos foram feitos pelo Cratod.

Os números foram divulgados durante a inauguração de uma tenda destinada ao atendimento e triagem dos usuários e familiares que chegam ao Cratod, na manhã desta quarta-feira, 12. De acordo com o governador Geraldo Alckmin a demanda foi maior que a esperada. "É um trabalho ininterrupto e vamos fortalecer as equipes", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
CratodCrackDrogasInternaçõesSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.